MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Urcamp

Dia Mundial de Conscientização do Autismo é celebrado neste 2 de abril

Tema da campanha nacional deste ano é "Lugar de autista é em todo lugar"

Em 02/04/2022 às 13:00h
Melissa Louçan

por Melissa Louçan

Dia Mundial de Conscientização do Autismo é celebrado neste 2 de abril | Urcamp | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Foto: Lucas Zacouteguy

Por Lucas Zacouteguy e Sharon Maia
Acadêmicos de Jornalismo Urcamp

 

Sinônimo de luta e superação, o dia 2 de abril, marca o "Dia Mundial de Conscientização do Autismo”. Tecnicamente conhecida como Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), esta é uma condição complexa e diversa, caracterizada por déficits na comunicação e comportamento. Como o próprio termo indica, o autismo é  bastante abrangente e é considerado um espectro por conta dos variados níveis de comprometimento, podendo haver casos mais leves, onde a pessoa não percebe os sintomas, ou casos mais graves, quando há comorbidades adjacentes e necessidade de acompanhamento constante.

Para comentar a importância dessa data, as dificuldades e superações diárias enfrentadas pelas pessoas que se encaixam no espectro autista, nossa reportagem conversou com as representantes de duas associações da região da campanha: Ana Elisa Pacheco, presidente da Associação Janelinha para o Mundo, de Bagé, e Marina Moreira Cassiano, presidente da Associação de Pais e Amigos dos Autistas (APAA), da vizinha cidade de Dom Pedrito.

Durante nossa conversa, foi possível constatar as inúmeras semelhanças entre ambas as organizações, cujo objetivo principal é fornecer suporte e assistência técnica às pessoas autistas e suas famílias através de parcerias, além de tentar levar informações sobre o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) para um maior número de pessoas, desmistificando preconceitos acerca do tema.

Uma janela aberta para o mundo

De acordo com Ana Elisa Pacheco, a Janelinha para o Mundo surgiu em 2013, porém ganhou força seis anos depois, em 2019, através da união de pais e mães de autistas. Naquele ano foram realizadas diversas atividades alusivas à causa na Rainha da Fronteira, despertando a atenção da comunidade em geral.

Mesmo sem possuir um espaço físico, a associação bageense oferece diversas formas de tratamento graças à ação de voluntários: "Nós temos um educador especial que atende oito crianças vinculadas à Janelinha. Temos uma fonoaudióloga, uma psicóloga, equoterapia e agora está entrando a musicoterapia. Também temos uma assistente social", destaca Ana Elisa.

A presidente ressaltou ainda a importância de se conseguir um local que abrigue a associação - uma sede que possibilite a expansão e continuidade das atividades já desenvolvidas pela equipe.

A APAA

Segundo Marina Moreira Cassiano, a Associação de Pais e Amigos dos Autistas (Apaa) nasceu pela necessidade de falar sobre o autismo na Capital da Paz e de conhecer outras famílias que enfrentassem a mesma questão; que tivessem as mesmas dúvidas e inseguranças que ela teve após o diagnóstico do filho Murilo, hoje com 18 anos. Assim foi formada uma espécie de rede de apoio entre mães. Os primeiros encontros eram realizados na casa dos participantes, aos finais de semana, e foi entre rodas de chimarrão e o convívio das crianças que surgiu a ideia de criar a Apaa. "Ali nós começamos a conversar e a perceber que tínhamos sim a necessidade de ter um espaço, um lugar para uma associação, um espaço para buscar o direito dos nossos filhos", recorda Marina.

Fundada no ano de 2010, mas oficialmente registrada em 2019, a Associação de Pais e Amigos dos Autistas contempla hoje 56 pessoas em Dom Pedrito. Para celebrar a chamada “Semana Azul", uma série de eventos que incluem palestras e panfletagem foram realizados no município desde o último dia 28. Uma caminhada, prevista para este sábado, dia 02, marcará o encerramento das atividades.

Em Bagé

De acordo com Ana Elisa Pacheco, as comemorações alusivas à conscientização do autismo devem se estender por todo o mês de abril na Rainha da Fronteira: "Vai começar com a caminhada, com saída da Praça de Esportes, às 17h", destaca. O evento contará com a participação de ciclistas, de personagens super heróis, do grupo Maturidade Ativa do Sesc e outras entidades do município. “E queremos fazer também, mais pra frente, um encontro das famílias com os profissionais [que atuam na instituição]", destaca.

A presidente da Associação Janelinha para o Mundo conta ainda que a entidade recebeu a doação de alguns cartazes informativos, que serão distribuídos em diversos pontos da cidade e também no transporte público. Ana Elisa ressalta ainda o desejo de encerrar o mês promovendo um ciclo de palestras alusivas à causa na cidade.

Lugar de autista é em todo lugar

O tema da campanha nacional de conscientização de 2022 enfatiza a necessidade de maior inclusão das pessoas neurodivergentes, que se enquadram no espectro da TEA, em meio à sociedade. Seja nas escolas, faculdades, mercado de trabalho ou qualquer outro ambiente, os autistas têm os mesmos direitos que qualquer outra pessoa. Tendo isso em vista, a campanha deste ano busca promover maior inclusão e proteção dos direitos dos autistas.
Para a presidente da Apaa, Marina Moreira Cassiano, a falta de inclusão e oportunidades fica ainda mais difícil e evidente na vida adulta, com a falta de oportunidades e inserção no mercado de trabalho. "A fase adulta é uma fase muito difícil para todas as famílias, porque eles têm pouca oferta de atendimentos, eles não foram qualificados para nada e aí eles acabam tendo que se enquadrar nesse mundo, nessas regras da sociedade que já existem. Sendo que teria que ser o contrário; as pessoas é que teriam que receber eles e tentar entender o jeitinho deles", finalizou.

A conscientização sobre o Autismo, esclarecendo suas diversas formas, é de suma importância, uma vez que essas pessoas acabam sendo excluídas da sociedade, principalmente aquelas que apresentam alguma dificuldade intelectual. “Sempre gostamos de lembrar que não existe só o autismo leve, que não é todo autista que tem superinteligência; existem aqueles que vão precisar de suporte pro resto da vida”, salienta Ana Elisa Pacheco.

A campanha de 2022 reforça ainda que muitos autistas podem viver vidas comuns, como qualquer outro cidadão, e que são plenamente capazes de ocupar lugares no mercado de trabalho, e em outros espaços. “A gente só busca a inclusão, o respeito e a empatia”, finalizou a presidente da Associação Janelinha para o Mundo.

Galeria de Imagens
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 99971-9480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br