MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Urcamp

Luiz Curi palestra para professores e colaboradores da Urcamp

Conselheiro da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação deu início, nesta segunda-feira, às atividades letivas do ano de 2022 da Instituição

Em 08/02/2022 às 14:30h

por Redação JM

Luiz Curi palestra para professores e colaboradores da Urcamp | Urcamp | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Palestra apresentada por Glauber Pereira e mediada por Lia Quintana | Foto: Reprodução /JM

A palestra de abertura do ano letivo de 2022 da Urcamp foi realizada na noite desta segunda-feira, 07, com o tema ‘Educação Superior após dois anos de pandemia: perspectivas e desafios’. Ministrada pelo professor Luiz Roberto Liza Curi, conselheiro da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação - CNE, a conversa foi mediada pela presidente da Fundação Attila Taborda e reitora da Urcamp, professora Lia Maria Herzer Quintana.

Realizada pelo canal oficial da Urcamp no Youtube, a abertura da palestra foi de Lia Quintana, que além de estar à frente do Centro Universitário da Região da Campanha, também é vice-presidente do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung) e presidente do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (CRUB). Lia fez uma saudação ao convidado especial da noite e agradeceu a presença do corpo docente e técnicos administrativos da Instituição de Ensino. 

O palestrante, ao agradecer o convite, frisou a Urcamp no cenário educacional brasileiro: “é um prazer muito grande estar aqui; uma honra ter recebido o seu convite (...) não há momento melhor do que este diálogo, ainda mais em uma instituição tão atuante e relevante para falarmos um pouco sobre a necessidade de renovação das fronteiras a partir de informação e conhecimento e de um processo cultural amplo; sem conhecimento, sem formação adequada, sem cultura, não há região que desenvolva. Portanto é prazer muito grande, ainda mais na trajetória cumprida de vocês que é exemplo para todo país”.

A atividade, destinada para membros da gestão, coordenadores de curso, diretoras das escolas da Urcamp, professores e corpo técnico administrativo foi a primeira de um roteiro que deve ser cumprido até março, dando início ao semestre letivo. O tema, que faz parte da vivência profissional e pessoal de todos nestes dois anos de pandemia, ponderou sobre todos os reflexos acerca do impacto sofrido na área da educação, destacando a ascensão do ensino híbrido e um modelo de ensino que está focado na qualidade do aprendizado e nas competências, além de novas tecnologias para novas pedagogias - tal qual a Urcamp apresenta desde 2019, quando implantou a Graduação i.

O professor Luiz Curi, durante sua fala, relembrou a educação caótica que se tinha há 25 anos e o processo de transformação que vem ocorrendo desde então. O conselheiro também frisou a importância da atualização do compromisso das Instituições com a sociedade, com o processo formador, que deve perpassar, sobretudo, novas políticas institucionais. De acordo com o palestrante, a interdisciplinaridade é dinâmica e tem a ver com a aproximação do conteúdo confrontado à realidade e processo integral de formação.

No Brasil, 63% dos alunos são estudantes noturnos e, por consequência, o tempo para estudo é limitado para se alcançar o aprendizado efetivo; daí a importância do ensino por competências que resulta, dentre outras, em atividades práticas. “Este é um modelo muito precioso; é um modelo que muda a vida das pessoas e a trajetória da graduação para que ela possa ter uma percepção nova”. Dando sequência, Curi ainda disse que o auto aprendizado é fundamental; o questionamento a partir de problemas que o estudante precisa resolver em etapas por competências.

Pelas pesquisas recentes, tanto professores quanto alunos não desejam voltar ao modelo de ensino tradicional, pois o bom aprendizado depende do modelo pedagógico. “Nós não vamos sair da pandemia para 2019; nós sairemos para 2023, para modernizar o futuro e não para estagnar o passado”.

Ao fim do encontro, Luiz Curi deixou a seguinte mensagem à reitora Lia Quintana: “O MEC busca busca sempre o entendimento junto ao CNE e do CNE com o MEC para que haja, assim, uma uniformidade na construção das políticas; a participação das instituições, o exemplo que vocês (Urcamp) deram e dão, e as inovações que vocês vêm fazendo são imprescindíveis para um fator positivo de contágio; esse contágio que o Brasil precisa”.


Quem é Luiz Curi

Sociólogo e Doutor em Economia, ambos pela Unicamp. É Conselheiro do Conselho Nacional de Educação, com mandato até 2024, onde foi presidente da Câmara de Educação Superior por dois mandatos (2016 a 2018) e presidente do Conselho de 2018 a 2020. Membro do Conselho Superior da Capes e Conselheiro do Conselho científico da ABAVE. Entre outras atividades, foi Presidente do INEP, diretor geral de Políticas de Educação Superior do MEC, Secretário de Cultura de Campinas, presidente da Companhia do Polo de Alta Tecnologia de Campinas, diretor geral de Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, pesquisador e analista sênior em Ciência e Tecnologia do CNPq, membro do Conselho Superior da Unicamp, presidente do Conselho de Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Campinas, e membro do Conselho Nacional do IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional.

Galeria de Imagens
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 99971-9480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br