MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Cidade

Cresce procura por poços artesianos na região da Campanha

Em 12/01/2022 às 08:00h
Jaqueline Muza

por Jaqueline Muza

Cresce procura por poços artesianos na região da Campanha | Cidade | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Maioria das perfurações é realizada fora do perímetro urbano / Foto: Divulgação

Apesar dos municípios da Campanha gaúcha não terem decretado situação de emergência, muitos produtores rurais estão buscando alternativas para amenizar os efeitos da falta de chuva. Uma delas é a perfuração de poços artesianos, que, dependendo do local, podem ser um alento. A demanda tem crescido nos últimos dias.

Para ter acesso à água a partir de uma fonte subterrânea da propriedade não é tão simples, requerendo, inclusive, um processo burocrático, que é conduzido junto ao Departamento de Recursos Hídricos e Secretaria de Meio Ambiente do Estado para obtenção do licenciamento de perfuração e outorga do uso da água.

O técnico da empresa Hidrobrasil, especializada em perfurações de poços artesianos, Nilo Machado Rodrigues Filho, explica que após todos os trâmites, a perfuração, dependendo da profundidade, demora cerca de um dia e meio. Rodrigues comenta que já fez mais de 200 perfurações em Bagé e a demanda continua crescendo. "Temos agenda fechada até março", destaca.

O técnico salienta que para a perfuração no ponto exato e que dará mais vazão, ele utiliza o mapa hidrogeológico, que faz imagens via satélite. Além disso, a experiencia de 28 anos e o estudo da geofísica ajudam a definir o local mais apropriado para a perfuração. "A situação é critica. Estamos perfurando poços em todo o estado", comenta.

Rodrigues salienta que o tamanho e o valor da perfuração de cada poço depende da análise da equipe, que, após se basear no mapa e estudo, identifica o melhor lugar para a perfuração. “Um poço de 100 metros de profundidade tem um valor de perfuração estimado em R$ 24 mil, mas depende de muitas coisas", observa.

A maioria das perfurações é realizada fora do perímetro urbano. Na região da Campanha, o técnico já está com demanda em Bagé, Pinheiro Machado, Dom Pedrito, Candiora e Hulha Negra, além de Cachoeira do Sul.

Galeria de Imagens
Leia também em Cidade
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 99971-9480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br