MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

Região

Morador de Dom Pedrito é condenado a pagar R$ 5 mil por descumprir medidas sanitárias da Covid-19

Em 16/09/2021 às 11:45h
Rochele Barbosa

por Rochele Barbosa

Morador de Dom Pedrito é condenado a pagar R$ 5 mil por descumprir medidas sanitárias da Covid-19 | Região | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Marcelo Brum/Portal Qwerty

A pedido do Ministério Público do Rio Grande do Sul em ação civil pública, a Justiça de Dom Pedrito condenou um cidadão a pagar indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 5 mil por descumprir medidas sanitárias de prevenção à Covid-19.

Conforme o promotor de Justiça de Dom Pedrito, Leonardo Giron, em julho de 2020, o homem, mesmo ciente de que estava contaminado com o coronavírus (por meio de teste PCR) e deveria ficar em isolamento domiciliar por determinado período, cinco dias após receber o resultado positivo, descumpriu a medida. Na ocasião, dirigiu-se ao ambulatório destinado a pacientes sintomáticos para exigir a realização do teste rápido, apenas para aferir se já apresentava anticorpos para a doença e ser liberado do isolamento. “Quando chegou ao local, o réu não informou ao médico que já havia positivado para a Covid-19, ou seja, omitiu informações aos profissionais da saúde”, conta o promotor.

Na decisão, o juiz destaca ainda que “não satisfeito em provocar risco de contaminação a outros munícipes, visto que não avisou o COE/Vigilância antes de se dirigir ao local, como era a orientação, o requerido prejudicou os trabalhos desenvolvidos no ambulatório, porquanto provocou alvoroço ao discutir com o médico, mesmo este lhe alertando que inexistia protocolo para realização de teste de anticorpos. E não parou por aí: agiu de forma agressiva e indecorosa até mesmo com a servidora do Ministério Público, que, por ordem do Promotor de Justiça, apurava o ocorrido e tentava orientar o réu quanto à medida sanitária”.

O valor da indenização deverá ser corrigido pelo IGP-M, a contar da sentença e acrescido de juros de 12% ao ano, a contar do evento danoso, revertido para o Fundo para Reconstituição de Bens Lesados (FRBL).

Galeria de Imagens
Leia também em Região
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br