MENU

Identifique-se!

Se já é assinante informe seus dados de acesso abaixo para usufruir de seu plano de assinatura. Utilize o link "Lembrar Senha" caso tenha esquecido sua senha de acesso. Lembrar sua senha
Área do Assinante | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler

Ainda não assina o
Minuano On-line?

Diversos planos que se encaixam nas suas necessidades e possibilidades.
Clique abaixo, conheça nossos planos e aproveite as vantagens de ler o Minuano em qualquer lugar que você esteja, na cidade, no campo, na praia ou no exterior.
CONHEÇA OS PLANOS

COVID-19

Mais três casos suspeitos da variante Delta são investigados no RS

Em 15/07/2021 às 14:44h

por Redação JM

Mais três casos suspeitos da variante Delta são investigados no RS | COVID-19 | Jornal Minuano | O jornal que Bagé gosta de ler
Foto: ReproduçãoJM

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) irá enviar para a Fiocruz, ainda nesta quinta-feira (15/7), mais três amostras de prováveis casos da variante Delta do coronavírus (B.1.1.617.2 – de origem na Índia) identificados no RS. Outras duas amostras também aguardam do laboratório de referência no Rio de Janeiro o resultado confirmatório. Esses são os primeiros casos suspeitos dessa linhagem do vírus identificados no Rio Grande do Sul.

Os três novos suspeitos são residentes de Canoas, Esteio e Sapucaia do Sul. A vigilância epidemiológica do Estado está, desde a noite desta quarta-feira, em contato com os municípios para levantamento sobre histórico de viagens, contatos anteriores com casos confirmados e se outras pessoas próximas também estão sintomáticas.

Os outros dois casos que também aguardam confirmação são de residentes de Gramado e Santana do Livramento. Todos os cinco estão com sintomas gripais leves e em isolamento domiciliar, nenhum precisou de internação hospitalar.

O Cevs realiza, pelo Laboratório Central do Estado (Lacen/RS) e Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CDCT), testes preliminares para a identificação desses casos suspeitos, incluindo sequenciamento parcial. No Estado são feitas análises que determinam se a amostra é uma provável VOC (variante de preocupação, da sigla em inglês) a partir da identificação genes específicos que são diferentes entre os tipos de vírus. Na Fiocruz, no Rio de Janeiro, essas amostras passam por um sequenciamento genômico completo, que fornece detalhes do perfil de mutações e classifica com precisão a linhagem de cada amostra.

Galeria de Imagens
Leia também em COVID-19
PLANTÃO 24 HORAS

(53) 999719480

jornal@minuano.urcamp.edu.br
SETOR COMERCIAL

(53) 3242.7693

jornal@minuano.urcamp.edu.br
CENTRAL DO ASSINANTE

(53) 3241.6377

jornal@minuano.urcamp.edu.br