Celito De Grandi

quinta-feira, 24 de abril de 2014 às 23:00

Reler Erico e Gabo

Sempre que me perguntam - e isso cada vez com maior frequência- qual o livro mais impactante que já li, respondo de pronto: ''Cem anos de solidão'', de Gabriel Garcia Márquez, o Gabo.

 
Se forem dois livros, acrescento ''O tempo e o vento'', do nosso Erico Veríssimo. 
 
+++
 
Gabo acaba de morrer. O mundo literário perde um dos seus referenciais singulares e todos estamos mais pobres. 
Ele criou o realismo fantástico da América Latina, foi reconhecido em todos os continentes e ganhou o Prêmio Nobel de Literatura. 
Erico, primeiro, mostrou-me uma realidade do Rio Grande por mim desconhecida até então; e Gabo fez-me delirar sobre as mirabolantes aventuras deste sul do mundo. 
 
+++
 
Pouco mudou o Rio Grande, desde Erico até agora. Também a América Latina continua muito igual, desde os tempos de Gabo. 
 
+++
 
Preciso, com urgência, reler toda a obra de Erico e de Gabo. Estou começando a fazer isto por ''Viver para contar'', o último livro escrito por Garcia Márquez (uma saborosa narrativa sobre sua vida e suas circunstâncias). 
Talvez, fazendo isso, eu reencontre caminhos para melhor entender a verdade verdadeira do Rio Grande e a realidade cada vez mais bolivariana das nossas fronteiras. 
 


Por: Celito De Grandi

 
Pesquisar