Arte e Cultura

terça-feira, 19 de novembro de 2013 às 22:08

Novembro dedicado ao cinema e à música em Bagé

Dois grandes eventos culturais neste fim de ano credenciam Bagé como um polo de cultura em diferentes segmentos. O 5º Festival Internacional de Cinema da Fronteira reafirma a cidade como produtora de curtas-metragens, trazendo ao município nomes importantes da sétima arte. E o Sulsur Festival de Música mescla ritmos de países do Mercosul, celebrando o encontro de várias gerações com músicas elaboradas a partir do jazz. É a Rainha da Fronteira buscando seu lugar ao sol no mundo das artes.

Lançamento oficial do Festival reuniu autoridades e cineastas no Da Maya Espaço Cultural.  Criação de um curso de Cinema na Unipampa será a principal pauta este ano.  - Créditos: Francisco de Assis
Lançamento oficial do Festival reuniu autoridades e cineastas no Da Maya Espaço Cultural. Criação de um curso de Cinema na Unipampa será a principal pauta este ano. Francisco de Assis
Pimentel afirma que, embora o Festival seja de jazz, outros ritmos também estarão no palco - Créditos: Francisco de AssisSamuca do Acordeon será uma das atrações  do evento - Créditos: DivulgaçãoZeca Brito acredita que o cinema tem o poder de agregar todas as outras artes - Créditos: Francisco de Assis

Bagé na rota das produções cinematográficas 

A 5ª edição do Festival Internacional de Cinema da Fronteira, além das novidades que logo veremos, bateu os recordes anteriores em trabalhos inscritos e em países participantes. Serão 12 nacionalidades presentes (Angola, Argentina, Cabo Verde, Cuba, Espanha, Guiné-Bissau, Macau [região administrativa da China] Moçambique, Portugal, Paraguai, São Tomé e Príncipe e Uruguai) e cerca de 100 curtas-metragens exibidos (filmes com duração de até 30 minutos) no evento, além da premiação inédita de R$ 15 mil. O tema do festival, esse ano, será "Feminino e Musical".

Embalados pela exibição nacional de O Tempo e o Vento, superprodução dirigida por Jayme Monjardin, baseada na obra imortal de Erico Verissimo, os bajeenses entraram no clima da produção cinematográfica. Alguns participantes do festival, inclusive, tiveram a oportunidade de fazer parte das filmagens como figurantes ou em outras funções. E isso alimentou o espírito de quem já tinha a ideia de um dia poder iniciar na sétima arte. Mas no Festival da Fronteira, uma das propostas do evento é, justamente, desconstruir essa concepção hollywoodiana de produção.   

O evento abre as portas para produções caseiras, independentes e amadoras. E para aperfeiçoar essa prática contará com oficinas de interpretação de filmes, de som, projetos e produções independentes, que serão ministradas por nomes como Luciana Tomasi, Carlos Gerbase, Kiko Ferraz e Fatimarlei Lunardelli.

Outra atração serão as mostras lusófonas, regional, universitária e internacional, que irão se realizar na Vila de Santa Thereza e concorrer ao prêmio Memória e Patrimônio. O festival começa, oficialmente, dia 25, mas as atividades já iniciam a partir da próxima sexta-feira, com exibição de curtas e longas-metragens.

Um dos longas será o documentário do cineasta Bruno Polidoro, chamado "Sobre sete ondas verdes espumantes". Audiovisual que retrata vida e obra do poeta e escritor santiaguense, Caio Fernando Abreu. Outro será o filme "Amor, plástico e barulho", da produtora Letícia Friedrich.    

No lançamento oficial do evento realizado na última segunda-feira, no Da Maya Espaço Cultural, o ex-secretário de Cultura e diretor executivo do Festival, Sapiran Brito, reiterou a importância de Bagé como um futuro polo de produção cinematográfica e que a cidade está democratizando a sétima arte: "O cinema deve ser plural, com espaço para todos", reforçou Brito.

 O diretor artístico Zeca Brito, principal nome na ocorrência do evento, discursou na mesma linha do pai: "Bagé sempre foi uma cidade muito identificada, muito ligada com a cultura. O cinema é a arte que junta todas as outras seis. Então nada melhor do que o cinema para celebrar todas as outras artes", afirmou o diretor, fazendo alusão às outras formas de arte anteriores ao cinema, que são a música, a dança, a pintura, a escultura, o teatro e a literatura.

O termo "sétima arte" foi primeiramente usado no início do século 20, pelo crítico italiano Riccioto Canudo, em seu Manifesto das Sete Artes, de 1923. Atualmente há quem classifique, também, a fotografia como a 8ª forma de arte na classificação geral.

Filmes itinerantes 

O Rodacine, este ano, estará em lugares ainda mais diferentes do que em 2012. Desta vez o projeto itinerante de exibição de filmes estará em pelo menos três locais: no campo de futebol Vermelhão da Serra, com uma mostra regional, e o longa "I Love Kuduro"; na Praça de Esportes, com os longas "Réus" e "Lacrau de João Vladimiro"; e na Panela do Candal, às margens do arroio Bagé, com o curta "Teresa Poester", os longas "Tatuagem de Ilton Lacerda" e o português "A Batalha de Tabatô". Este último, uma produção portuguesa, que terá a presença do ator protagonista Mamadu Baio na exibição.  

O filme conta a história de uma aldeia de Tabatô, na Guiné-Bissau, onde todos os habitantes são músicos, e um ex-combatente da guerra colonial regressa ao país para assistir ao casamento da filha, professora de História, com um dos músicos do povoado. Considerado um dos filmes portugueses mais livres dos últimos anos, o drama de 78 minutos, trata-se de uma produção independente e de baixo investimento, mas que nem por isso peca na qualidade.     

O Rodacine é um projeto de democratização do acesso à produção cinematográfica nacional e de descentralização da exibição, que tem o objetivo de promover sessões gratuitas de cinema em municípios gaúchos que não possuam salas de exibição comercial. Como Bagé tem apenas uma sala, localizada no centro e distante de muitas comunidades, o Rodacine levará o cinema até os bairros.   

Um curso de cinema em Bagé?

Paralelamente ao Festival estará ocorrendo a 2ª Jornada de Estudos em Cinema, realizada por professores da Universidade Federal do Pampa (Unipampa). Trata-se de uma roda de conversa com profissionais da área, que estarão em Bagé durante o evento, sobre os cursos já existentes no Estado, tendo em vista a possibilidade de instalação de uma faculdade de Cinema na Unipampa. Mesmo que a ideia seja ainda incipiente, lançada ano passado e que pegou professores universitários de surpresa, a vontade dos entusiastas bajeenses é concreta. "Somos todos entusiastas, mas sabemos que não é um processo simples. É algo bem complexo e que depende da movimentação de todo o campus", salientou a professora do curso de Letras, Fabiane Lazzaris.

Em seu discurso no lançamento oficial do evento o vice-prefeito de Bagé, Carlos Alberto Fico, relembrou que a concretização do curso de Música da Unipampa foi provocado pelo Festival Internacional Música no Pampa (Fimp) e, que, agora, o Festival da Fronteira levanta discussões acadêmicas, levando o debate para dentro da universidade.

Para aprofundar esse debate, uma audiência pública ocorrerá na Câmara de Vereadores de Bagé, dia 29. Uma larga campanha se propaga pelas redes sociais capitaneada pelo vereador Lelinho, com apoio da prefeitura e da Associação Pró-Santa Thereza.  

Veja a relação dos curtas selecionados com o título e o diretor

Mostra internacional

1.       15 Bilhões de Fatias - Cláudio Jordão

2.      A Navalha do Vovô - Pedro Jorge

3.      Baba 105 - Felipe Bibian

4.      Boca de Rua - Marcelo Andriguetti

5.      Cabeça-Papelão - Quiá Rodrigues

6.      Cine Brasília - Boca Migotto

7.      Contato de Amor - Thais Fernandes

8.      Contos da Maré - Douglas Soares

9.      Lex Talionis - João Paulo Palilot

10.   Liitrofe - Natasha Durski

11.    Linda, Uma História Horrível - Bruno Barreto

12.   Lobos - Abel Roland e Emiliano Cunha

13.   No Interior de Minha Mãe - Lucas Sá

14.   O Homem Que Conserta Estrelas - Denise Marchi

15.   O Melhor Amigo - Allan Deberton

16.   O Menino Que Sabia Voar - Douglas Ferreira

17.   O Pacote - Rafael Aidar

18.   Origami - David Pavon

19.   Os Filmes Estão Vivos - Fabiano De Souza E Milton Do Prado

20.  Somos Todos Ilhas - Pedro Karam

21.   Um de Nós Morre Hoje - Gabriel De Almeida - Weiller Vilela

22.  X E Y - João Costa

 

 

Mostra universitária

1.       27 Corações - Cris Aldeyn

2.      A Parideira - José Miguel Moreira

3.      Atrapados Al Vuelo - Ariel Lizzi

4.      Cancha - Luciano Mariz

5.      Catalogargula - Lucas Neris E Luan Salce

6.      Cena - Vitor Hiroshi

7.      Codinome Beija-Flor - Higor Rodrigues

8.      Dos Males O Pior - Cristiano Machado

9.      Eu Sou Mais Eu - José Martin Estefanon

10.   Lembranças De Maura - Bruna Lessa

11.    No Me Animo - Nicolas Ojeda

12.   O Fio Da Navalha - Maciel Fischer

13.   O Matador de Bagé - Felipe Iesbick

14.   O Sentinela da Hora - Alexandre Almeida

15.   Os Desconhecidos - Eduardo Teixeira Da Silva

16.   Para Quem Quiser Ouvir - Mariana Silveira

17.   Tinha Uma Pedra No Meio Do Caminho - Caio Mazzilli

18.   Tudo Por Real - Luiza De Andrade

                                                                                

Mostra regional     

Mostra Regional Tarde

Filme

A Menina da Praça Silveira Martins - Dyorana Porto

Áttila Taborda Vida e Obra - Adriana Gonçalves

Bidart - Robson Lacerda

Causos e Memórias  - Equipe Napi Bage

Colégio Franciscano Espírito Santo - Helena Pilon

O Bruxo  - Leo Pec¸anha

O Mensageiro  - Luis Gustavo Esteves

Um Amor Para Recordar - Roberta Rodrigues

Luzes - Carmen Lucia Moreira Silva

Roubando Cenas - Carmen Lucia Moreira Silva

Cartas - Diego Armstrong

Adão Latorre Negro Adão  - Vinicius Torres

A Catedral de São Sebastião  - Vitoria Moglia

Museu Dom Diogo de Souza  - Gonzalo Lamego

Bagé O Tempo e o Vento - Glauber Pereira

Jane Morales Sem Fronteiras - Bere Borges

Narradores De Bagé - IFSul Direção Coletiva

Documentário Vila Vicentina  - Eduarda Rodrigues

 

Mostra Regional Noite

Filme

Xerife de Fronteira - Tamille Padilha

Negrinho do Pastoreio  - Iury Madeira

Lamento - Matheus Walter

Viagem a Lavras - Coletiva

Vaidosas Casas - Edison Larronda

Ferreiro - Luis Gustavo Esteves

Nunca Durma - Cristiane Bastos

A Lenda Do Mão Preta - Andre Luiz Duarte

A Professora - Fabrício R. Fagundes

Cadeiras - Fabrício R. Fagundes

A Origem do Monstro da Panela do Candal - Larissa Soares

O Incompreendido - Roger Balboa

Duas Casas - Mariane Rocha

Por Que Um Teatro - Tom Peres/Helen Cortezolli/Paulo Renato Pinheiro

O Cerco - Federico Bonani

Reminiscências - Edison Larronda E Diogo Ferreira

Autodestruição - Jeferson Vainer

Roteiro em Branco - Diogo Ferreira

As Vozes Que Eu Ouvi - Antonio Almeida E Paulo Renato Pinheiro

Mandaram Matar a Morte - Bere Borges E Luiz Gustavo Esteves

A Aposta - Bere Borges

De Alma Lavada - Bere Borges

Bons Argumentos - Luis Gustavo Esteves

Conhece Corcel? - Tomas Casartelli

Não Passou - Adriana Mendes

Não Volto La De Novo - Michele Correa

O Noivo - Diogo Ferreira

O Susto - Mara Lima

Táxi - Diogo Ferreira

Rua José do Patrocínio - Napi - Núcleo De Audiovisual Da Pessoa Idosa De Bagé

O jazz de volta ao pampa 

Nove anos depois, o festival que, em 2004, levava o título de Latin Jazz, ressurge com a mesma proposta: celebrar o encontro de ritmos latinos com músicas elaboradas a partir do jazz e seus recursos técnicos.

Em 2013, na sua 7ª edição, o evento vem com nova marca e nome: Sulsur Festival de Música. A troca foi uma exigência do governo do Estado ao projeto apresentado no início deste ano à Secretaria de Cultura, que foi quem financiou o evento, juntamente com alguns patrocinadores.

O festival prevê a ressignificação dos festivais anteriores Latin Jazz, quando músicos importantes do Mercosul estiveram em Bagé. A primeira edição ocorreu ainda em 1996 e teve irrestrito apoio de artistas locais, que colocaram a cidade na rota dos grandes intercâmbios culturais latino-americanos.

Durante os dias 22 e 23 de novembro, no complexo cultural do Museu Dom Diogo de Souza, a partir das 20h30min, a comunidade de Bagé poderá assistir a apresentações gratuitas de música instrumental de qualidade. O evento propõe, também, exposições de arte, oficinas de instrumentos musicais, apresentações compartilhadas e workshops.

Para o curador do evento, Julio Pimentel, o festival não terá somente jazz, e estará aberto a misturas musicais de outros países: "Terá um grupo uruguaio que vai tocar chacareira de uma maneira muito individual, muito própria. Mas nós vamos tocar baião, samba, ritmos brasileiros e latino-americanos", disse o músico.               

Os espetáculos terão o nome de "Bajezz" e terão no palco nome conhecidos, como Samuca do Acordeon, Dirceu Leite, Marcos Suzano, Guilherme Gê, Lucas Esvael, os uruguaios Monico Aguilera, Nelson Cedrez e Mauro Pérez, e os argentinos Alfonso Santini e Benjamin Barrero.

A produção executiva do Sulsur Festival de Música é de Martha Hentschke e tem direção de Eliane Simões Pires Pacheco.  

 Programação

Oficina de Instrumentos Musicais 

Local: Imba

Hora: 15h

 

22/11 Bajezz I

Local: Complexo Cultural Museu Dom Diogo de Souza

Apresentação 1: Dirceu Leite, Guilherme Gê, Marcos Suzano e Julio Pimentel

Hora: 20h30min

Apresentação 2: Samuca do Acordeon e grupo

Hora: 21h30min

 

22/11 Workshop com Dirceu Leite

Local: Imba

Hora: 10h

 

22/11 Workshop com Marcos Suzano

Local: Imba

Hora: 14h30min

 

23/11 Workshop com Samuca do Acordeon

Local: Imba

Hora: 14h30min

 

18 a 23/11 Apresentações compartilhadas

Local: Caminho da Luz, Vila Vicentina, Associação dos Deficientes Visuais, Casa da Menina

Hora: 15h

 

 23/11 Bajezz II

Local: Complexo Cultural Museu Dom Diogo de Souza

Apresentação 1: Monico Aguilera Quinteto

Hora: 20h30min

Apresentação 2: Integração Sul Sur

Hora: 21h30min


Por: Felipe Severo

 
Pesquisar