Afonso Motta

sábado, 9 de novembro de 2013 às 0:51

Petróleo de Libra

O consórcio constituído por estatais chinesas,

...petroleiras da Europa e a Petrobrás arrematou em leilão o campo de petróleo de Libra aqui no Brasil, um dos maiores do mundo, com o pagamento de um bônus de R$ 15 bilhões. A exploração gigante do pré-sal está estimada em 10 bilhões de barris de petróleo e poderá gerar um trilhão de reais ao longo de 30 anos. O governo, por todas essas razões, considera o leilão um grande sucesso.
A expectativa, a partir de agora, é com os resultados, já que a principal referência política passa a ser a possibilidade de ampliação dos investimentos em educação e saúde. Por lei, parte dos royalties deverão ser destinados a essa finalidade. O debate que antecedeu o leilão colocou em campos opostos o governo e sindicalistas, bem como outros movimentos que caracterizaram o evento como entrega da riqueza nacional para multinacionais estrangeiras.
Com essa motivação, partidos políticos de esquerda, petroleiros e representantes anarquistas defendem a exploração exclusiva do pré-sal pela Petrobrás. Ocorre uma espécie de campanha como a do "Petróleo é nosso" no início da atividade no país há muitos anos. O leilão foi uma grande batalha jurídica com mais de 20 ações, cujas liminares foram desacolhidas e as pretensões têm poucas chances de prosperarem no exame final do mérito. Fato é que, além dos valores expressivos já alcançados e que poderão ser ampliados por somas fabulosas, parte substancial de todos os recursos e da produção de óleo irão para os cofres do governo federal, consagrando o regime de partilha, objeto das críticas dos ativistas de defesa do patrimônio nacional.
Ademais, a dimensão do projeto de Libra impõe tecnologia, recursos financeiros e experiência de exploração. Atributos que o consórcio vencedor detém e podem garantir o sucesso da exploração. É importante também que o pré-sal assegure, com a maior brevidade possível, a autossuficiência de petróleo, capaz de contribuir para o equilíbrio financeiro do Brasil e o desenvolvimento com a melhoria de renda e qualificação na vida da população. O tempo dirá se as escolhas do modelo de negócio vão representar os resultados projetados e se o patrimônio nacional está realmente sendo protegido.
A convicção do governo se sustenta em antecipar os recursos e diminuir a necessidade de investimentos sem comprometer a nossa soberania. Ainda vivemos os tempos em que o petróleo é objeto da maior das cobiças, mesmo com as alternativas renováveis que também se afirmam na atualidade. Consequentemente, as potencialidades brasileiras através do pré-sal poderão consolidar o Brasil como um dos maiores exportadores do mundo e país desenvolvido com alta qualidade na saúde e na educação. 
 


Por: Afonso Motta

 
Pesquisar