Cidade

segunda-feira, 20 de março de 2017 às 0:00

Projeto SOS Cavalos inicia operação na cidade

Abordagens e orientações foram realizadas na sexta-feira - Créditos: Divulgação
Abordagens e orientações foram realizadas na sexta-feiraDivulgação
Abordagens e orientações foram realizadas na sexta-feira - Créditos: DivulgaçãoAbordagens e orientações foram realizadas na sexta-feira - Créditos: Divulgação

Baseado na lei 4.843/2010, que regulamenta os transportes com tração animal e o controle de equinos e bovinos soltos nas vias públicas, o SOS Cavalos é uma operação dentro do Programa Carroceiro Legal para retomar as fiscalizações sobre este tema.
De acordo com o secretário municipal de Segurança e Mobilidade Urbana, Paulo Véras, o projeto foi elaborado pela vereadora Beatriz Souza e começou na sexta-feira. "Estamos dando total apoio com os agentes de fiscalização e buscaremos observar a conduta no trânsito destes veículos de tração animal", informa.
As vistorias serão feitas uma vez por semana, durante um mês, pela Polícia Civil, Brigada Ambiental, Secretaria Municipal da Segurança e Mobilidade Urbana, Vigilância Sanitária e Coordenadoria do Bem-Estar Animal, juntamente ao gabinete da vereadora.
Como inovação, além do recolhimento de animais por maus tratos, durante essa primeira etapa, será feita uma pesquisa de campo para coleta de dados, informações sobre condições de trabalho, renda mensal, gastos, tipos de fretes realizados, números de microchipagem e emplacamento, e cuidados com os animais. No segundo mês serão promovidos cursos de leis de trânsito aos carroceiros, posse e guarda responsável e a retomada dos cadastramentos.
Segundo Beatriz, com a ocorrência recente de vários casos de maus tratos atendidos pelo Núcleo Bajeense de Proteção Animal (NBPA) houve a necessidade de retomar com urgência as atividades do Programa Carroceiro Legal. "A pesquisa, que será feita durante as vistorias, é uma forma de entender e resolver as demandas através, também, da educação dos carroceiros", explica.
O programa encerrou as atividades em 2013 devido à falta de contingente, lugar para colocar as carroças e animais apreendidos. Como solução, o foco agora será a educação e profissionalização dos carroceiros, além da aplicação das multas previstas na lei. Já os animais em maus tratos serão tratados pelo NBPA e encaminhados para adoção.
Beatriz conta que a primeira ação foi eficiente e os animais estavam cuidados. "Tivemos êxito, pois os animais estavam cuidados pelos proprietários das carroças, prestamos orientações sobre como proceder com os cuidados básicos com os cavalos e foi um trabalho tranquilo", disse.


Por: Rochele Barbosa

 
Pesquisar