Cidade

sábado, 18 de março de 2017 às 0:00

Exército e apoiadores restauram brinquedos e espaço lúdico da Casa da Menina

Espaço foi inaugurado na sexta-feira - Créditos: Chrystian Ribeiro - Ascom Urcamp
Espaço foi inaugurado na sexta-feiraChrystian Ribeiro - Ascom Urcamp
Tenente Coronel Coutinho, vice-reitora  Núbia Juliani e General de Brigada Hertz Pires do Nascimento - Créditos: Chrystian Ribeiro - Ascom Urcamp

A inauguração do novo quintal lúdico da Casa da Menina aconteceu na sexta-feira, 17, e contou com a presença de autoridades militares, apoiadores do projeto e da Universidade da Região da Campanha (Urcamp). O espaço, que fica na parte interna da casa, abriga, hoje, cerca de 30 meninas, as quais viviam em situação de vulnerabilidade social em Bagé e região.
Alguns brinquedos estavam quebrados e deteriorados pelo uso e exposição ao tempo. Foi quando uma força tarefa envolvendo o exército e algumas empresas locais parceiras, decidiu encampar a ideia de restaurar o local. O Quartel General determinou ao 3º Batalhão Logístico que iniciasse o trabalho em benefício das meninas, todas menores, com idades de zero a 18 anos. "Essa é a parte mão amiga do Exército, que está em nosso lema. A gente poder estender essa mão e os braços às nossas comunidades é muito gratificante", explica o tenente-coronel Antônio José Costa Coutinho, comandante da guarnição.
O exército entrou com a mão de obra, que envolveu pintura dos muros, restauro, recuperação dos brinquedos e reconstrução de parte do piso. Já o valor do material foi rateado entre a Terrasul, Banco do Brasil e Loja Maçônica Cruzeiro do Sul. A vice-reitora da Urcamp, Núbia Juliani, participou do ato inaugural representando a reitora Lia Quintana, que estava em viagem de trabalho. "A Urcamp vem mantendo a Casa da Menina desde sua criação, mas não é fácil, pois a manutenção das meninas e de tudo que elas precisam nos demanda um custo elevado. Então, poder contar com essas parcerias é uma alegria muito grande. É a comunidade abraçando a Urcamp e essas meninas que tanto precisam", explica a professora.


Por: Redação

 
Pesquisar