Padre Airton Gusmão

sábado, 18 de março de 2017 às 0:00

Nova criatura em Cristo

Neste tempo da Quaresma nunca devemos perder de vista que o nosso horizonte último é a Páscoa, isto é, o amor de Deus revelado plenamente por Cristo. Todas as nossas ações, jejuns, orações precisam ter este sentido de que somos chamados à vida eterna, de fato, como nos ensina São Paulo: "a esperança cristã nunca decepciona" (Rm 5,5); assim, neste tempo favorável, Deus nos pede que façamos um exame profundo da nossa vida para vermos o quanto esta "Alegria do Evangelho" encontra resposta positiva no "hoje" da nossa história. Todos passamos por dificuldades, sofrimentos, angústias, isto é a nossa condição humana, no entanto, a esperança cristã nos ensina a olhar estas situações de modo novo, ou seja, Cristo tomou para si todas as nossas dores; Ele conhece a nossa vida mais do que nós mesmos e seu desejo mais profundo é que esta certeza de que Deus é amor e que nunca nos abandona, ressoe a cada dia no coração de cada ser humano.  
O encontro de Jesus com a Samaritana, certamente, é uma das mais belas passagens do Evangelho; neste relato percebemos o desejo de Deus de encontrar o coração humano e lhe dar um novo sentido. A Samaritana ao encontrar Jesus fez a experiência da misericórdia de Deus que se inclina em direção ao ser humano; Jesus "inclinou-se" em direção à vida toda daquela mulher e ajudou-a a rever a sua história de uma maneira totalmente nova. A exemplo da Samaritana, nós também temos no nosso interior tantas questões ou anseios que ignoramos, que nunca dirigimos ao Senhor. A Quaresma é este tempo de olharmos para o nosso interior e pedirmos ao Senhor o auxílio na oração. Somente na escuta de Jesus conseguiremos deixar de lado aquilo que nos pesa, que nos atrapalha de reconhecer o amor de Deus em nós: "Então a mulher deixou o seu cântaro e foi à cidade" (Jo 4,28), ou seja, deixando-se encontrar por Jesus, encontrou a água viva da misericórdia que é maior do que tudo.
Este diálogo de Jesus com a Samaritana mudou a sua vida, deixou-a mais próxima de Deus. Há, hoje, uma grande quantidade de homens e mulheres também sedentos e cansados porque já perderam a alegria e o significado da vida. Enquanto cristãos não podemos nos isentar de testemunhar a alegria de termos encontrado Jesus que é o sentido da nossa vida cristã. "Ao início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa que dá à vida um novo horizonte e, desta forma, o rumo decisivo". (Bento XVI).
Assim como a Samaritana que foi "encontrada, alcançada e transformada pela Verdade que é Cristo" (Alegrai-vos - Carta circular aos consagrados e consagradas), pelo batismo somos chamados a uma vida nova, recebemos esta graça de sermos homens e mulheres transformados pelo amor de Deus, chamados a participar da sua vida divina; e quanto mais nos deixamos transformar pelo Senhor, mais não falará em nós as nossas fragilidades, tristezas, angústias, mas a capacidade de amar e de fazer o bem nesta certeza que a Páscoa nos dá de que "se alguém está em Cristo, é uma nova criatura" (2Cor 5, 17).
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.


Por: Padre Airton Gusmão

 
Pesquisar