Arte e Cultura

terça-feira, 29 de outubro de 2013 às 19:04

E a Galponeira vem aí!

Tradicional festival de música nativista, a Galponeira de Bagé, em sua 10ª edição, irá confraternizar músicos bajeenses na concha acústica do Parque do Gaúcho. O evento será nos dias 15 e 16 de novembro, mas eles subirão ao palco no dia 17, quando farão uma retrospectiva dos 10 anos, cantando todas as canções vencedoras e as músicas mais populares das nove edições que passaram. Serão 18 trabalhos e 23 artistas da Rainha da Fronteira rememorando uma década de música boa num evento que veio para ficar. Assim esperamos!

Reunião entre os músicos bajeenses no estúdio de Tiago Cesarino comunicou a proposta da retrospectiva e definiram assuntos técnicos sobre as canções - Créditos: Francisco de Assis
Reunião entre os músicos bajeenses no estúdio de Tiago Cesarino comunicou a proposta da retrospectiva e definiram assuntos técnicos sobre as cançõesFrancisco de Assis
Tradicional festival de música nativista, a Galponeira de Bagé, em sua 10ª edição, irá confraternizar músicos bajeenses na concha acústica do Parque do Gaúcho. - Créditos: Francisco de AssisCDs Galponeira - Créditos: Francisco de AssisNa tarde da última segunda-feira a gurizada se reuniu para tomar mate e organizar o cronograma das canções que irão ao palco - Créditos: Francisco de AssisGarcia já foi premiado várias vezes no festival. Ano passado tirou 2º lugar  - Créditos: Francisco de Assis

"A Galponeira é um festival de composições inéditas que abrange a linha nativa e campeira com o objetivo de valorizar a música nativista gaúcha em todas as linhas, gêneros, estilos e influências, promovendo a integração entre autores, compositores, cantores, músicos, musicistas, estudiosos, tradicionalistas, críticos e poetas no aperfeiçoamento da música do Rio Grande do Sul".
 
Desta forma inicia o artigo 1° do regulamento do festival que, desde 2004, abre espaço para revelações e reafirma os mais experientes. Agora todos estarão juntos cantando os trabalhos premiados com a primeira colocação eleita pelo júri técnico, além das canções mais populares escolhidas pelo público, o que totaliza 18 músicas que serão interpretadas por 18 artistas diferentes, acompanhados por um grupo base.
A ideia de reunir a gurizada para cantar os 10 anos do evento surgiu de uma conversa entre o diretor artístico, Tiago Cesarino, e o vice-prefeito Carlos Alberto Fico: "A prefeitura queria trazer os cantores originais das vencedoras. E isso sairia caro. Apresentamos a proposta de fazer isso com músicos daqui de Bagé. O que foi prontamente bem recebida por Fico", afirmou Cesarino. Desta forma ficou tudo em casa, visto que boa parte dos trabalhos premiados são obras de artistas de fora da cidade. 
E foi na casa/estúdio de Cesarino que a gurizada se reuniu para tomar um mate, tocar umas marcas e decidirem sobre as músicas a serem cantadas por cada um, o grupo base que irá compor o palco, bem como os tons em que cada intérprete irá cantar.
Com uma oportunidade dessas, o jovem Augusto Camargo poderá subir ao palco da Galponeira pela primeira vez: "Vou cantar 'Quando a paixão me desarma', da 6ª edição, que o Robledo Martins interpretou", empolgou-se o guri de 15 anos, mas que canta desde os 7 sob influência dos avós.
Já Caine Garcia é um experiente compositor e cantor, várias vezes premiado, inclusive, na própria Galponeira. "E também fui jurado na 8ª edição", acrescentou. Durante a 5ª edição Garcia ganhou a melhor música na fase local com o chamamé 'Das Esperas da Guerra', canção defendida por Shana Müller, que também se sagrou melhor intérprete. Ano passado venceu a categoria que premiava o melhor tema sobre os 200 anos de Bagé, com a música 'De Volta', interpretada por ele e Giordan Alves: "Coloca aí também o Chico Azambuja, que participou declamando, senão depois ele me cobra que esqueci o nome dele", brincou. Também em 2012 Garcia ficou em 2º lugar com a música 'De Tua Ausência', cantada por Cassiano Mendes.
Em alguns casos os artistas de Bagé cantarão a própria música. É o caso de Francisco Teixeira, o Chiquinho, que teve a canção mais popular em 2012 e, este ano, cantará a milonga 'Fronteiriça' novamente: "É uma música com letra e melodia minha que fala um pouco de Bagé, dos lugares, das pessoas", discorreu Chiquinho, autor do trabalho que conta com mais de 500 visualizações no Youtube.
O diretor musical, Guilherme Batista, foi o responsável por escalar o grupo base que irá acompanhar os intérpretes, até para evitar o troca-troca de instrumentos e instrumentistas. Batista, que também participou de um projeto semelhante no festival 'Canto Sem Fronteira', sentiu que a edição comemorativa da Galponeira pedia algo diferente: "Inicialmente faríamos só com as campeãs, mas aproveitamos para colocar as músicas mais populares porque são as preferidas do público", explicou. O grupo base será composto por: Diego Kaupe, no contrabaixo; Hérick Vaz, na gaita; Lissandro Perez, no violão; Tiago Jardim, na percussão; e Vinícius Leite, também ao violão.
 
O futuro dos festivais
 
A iniciativa dos músicos bajeenses surge num momento importante, porém delicado, em que os festivais nativistas do Rio Grande do Sul não recebem mais o prestígio de outrora. O que, aliás, não é de hoje. Há alguns anos esses eventos enfrentam extrema dificuldade para acontecer. Exemplo disto é a própria Califórnia da Canção Nativa, de Uruguaiana, festival mais emblemático do estado, mas que não ocorre desde 2009. E não faltam festivais consagrados que terminaram por se extinguir pela falta de incentivos, má gestão e acúmulo de dívidas com fornecedores. 
Desta forma, canções premiadas caem no esquecimento pela pouca confecção de CDs do festival, pela baixa radiodifusão em programas destinados ao nativismo, pela quase total ausência de programas televisivos, bem como pela falta de incentivo governamental à cultura. Assim a aculturação dos jovens impera. Um comparativo confirma a tese acima mencionada, se pegarmos como exemplo um dos festivais que mais vendeu discos na história, que foi a 10ª edição da Califórnia. Todos aqueles que possuem alguma ligação com a cultura gaúcha, conhecem ou já ouviram, por exemplo, canções como Veterano, Recuerdos da 28, Entardecer e Romance na Tafona. Todas elas são clássicos que compõe o LP do festival ocorrido em 1980. Mas alguém se lembraria da música que venceu a última edição da Califórnia, em 2009? Ou ainda: alguém se lembra do último clássico da música gaúcha a nascer dos festivais? 
Por esse e outros motivos é que iniciativas como a de Tiago Cesarino e companhia vêm bem a calhar. A música gaúcha vive um momento delicado, onde as tecnologias da informação e comunicação soterram tudo o que não acompanha a mesma velocidade. Comprar CDs de música para quê se é possível baixa-las pela internet?! Para nosso consolo é que a TV não matou o rádio, tampouco o cinema o teatro. A internet ainda não superou o livro, e esperamos que os Megauploads e Pirate Bay da vida não matem nossos eventos culturais e artistas.
Assim, para aqueles que não se lembram mais das canções que cruzaram pelo palco da Galponeira, vale uma visita ao Parque do Gaúcho dia 17 de novembro para vê-los ao vivo. Ao menos para a emoção do frio na espinha ou arrepio no pelo do braço, de ver uma música ao vivo levantando o público, ainda não inventaram tecnologia que substitua esse sentimento.
 
Vejas as músicas e os cantores que farão o show das vencedoras 
da Galponeira de Bagé, no dia 17 de novembro:
 
1ª Galponeira - 2004 - 1º lugar: Sonho em Flor - Tiago Correia
1ª Galponeira - 2004 - Mais popular: Baile da Goteira - Alessandro Matos
2ª Galponeira - 2005 - 1º lugar: Peão do Cantagalo - Bruno Teixeira
2ª Galponeira - 2005 - Mais popular: Lá na Estância do Limoeiro - Cassiano Mendes
3ª Galponeira - 2006 - 1º lugar: Regalona de Porteira - Tiago Cesarino
3ª Galponeira - 2006 - Mais popular: No Compasso do Meu Pingo - Nelson Souza
4ª Galponeira - 2007 - 1º lugar: O Preço da Doma - Deise Veiga
4ª Galponeira - 2007 - Mais popular: Ponteiro de Tropa - Caine Teixeira
5ª Galponeira - 2008 - 1º lugar: Frio de Maio - Mariane Acordi
5ª Galponeira - 2008 - Mais popular: Da Chirca ao Aceguá - Marcelo Delgado
6ª Galponeira - 2009 - 1º lugar: De Pelo em Verso - Lucas Gross
6ª Galponeira - 2009 - Mais popular: Quando a Paixão me Desarma - Augusto Camargo
7ª Galponeira - 2010 - 1º lugar: Caminheiro das Águas - Márcio Costa
7ª Galponeira - 2010 - Mais popular: Por Una Noche - Leonardo Vaz
8ª Galponeira - 2011 - 1º lugar: Os Olhos Sob o Chapéu - Alexandre Brose
8ª Galponeira - 2011 - Mais popular: Debochado - Talvane Camargo
9ª Galponeira - 2012 - 1º lugar: Um Campeiro Sem Cavalo - Tarciane Tebaldi
9ª Galponeira - 2012 - Mais popular: Fronteiriça - Chiquinho Teixeira
 
A Galponeira de Bagé ocorre nos dias 15 e 16 de novembro, no Parque do Gaúcho.
As inscrições encerram amanhã, (31).
Inscrições e regulamento no site da Prefeitura de Bagé: www.bage.rs.gov.br
 
 


Por: Felipe Severo

 
Pesquisar