Marcelo Teixeira

sábado, 11 de fevereiro de 2017 às 0:00

A culpa é do domingo

Tudo bem que segunda-feira é um dia detestável e, nesse sentido, a máxima de Garfield traduz com propriedade um sentimento comum da maioria da civilização ocidental que, assim como Deus, descansa no sétimo dia. Segunda-feira é o dia seguinte ao do descanso para esta maioria cheia de má-vontade com este dia que, salvo melhor juízo, não tem culpa nenhuma por esta fama, como tentarei demonstrar a seguir.
Um dia de descanso depois de seis trabalhados, apesar de ter inspiração bíblica, não corresponde à ordem colocada nos nossos calendários onde o domingo abre a semana, sendo, assim, o primeiro e não o sétimo dia. Por esta ordem o sétimo dia seria o sábado, mas isso é só um ponto de vista de somenos importância, visto que, de fato, para algumas profissões, por exemplo, o sétimo dia é a segunda-feira. Então, para aqueles que descansam na segunda ou para aqueles que estão sempre descansando, ou a segunda equivale ao domingo da maioria, ou a segunda é um dia igual aos outros respectivamente, o que prova que não gostar de segunda é uma questão muito mais psicológica do que real.
Desde que eu ouvi pela primeira vez a música "Jovens tardes de domingo" de Roberto Carlos - e isso já faz tempo - reflito sobre as virtudes deste dia que sempre teve ares de sagrado, desejado, esperado, querido etc. Na verdade, há muito tempo que vejo mais defeitos do que virtudes nos domingos, mas, respeitosamente, nunca manifestei minha antipatia para não parecer que sou "do contra". Porém, ao ler uma entrevista do cantor Lobão que, ao ser perguntado sobre qual seria a ideia de um domingo perfeito, respondeu: "Não haver domingo!", fiquei animado visto que, enfim, "encontrei" alguém que concorda comigo. Assim, quero absolver a segunda-feira da pecha de pior dia da semana, visto que todos os defeitos dela decorrem do fato de ser o dia seguinte ao domingo. Um dia de folga, apesar de bom e merecido para quem trabalha nos dias anteriores, é suficiente para desregular o nosso sono e o nosso estômago, e, no dia seguinte, quando temos que retornar ao trabalho com tudo isso desregulado, quem desregula é o nosso humor. Daí relacionamos os maus humores às segundas-feiras, quando, na verdade, a culpa foi do domingo. Prova disso é que, se a segunda for feriado, o dia detestável passa a ser a terça.
Domingo é um dia triste, melancólico, comércio fechado, pessoas recolhidas, ruas desertas contrastando com locais públicos de lazer simplesmente entupidos de gente e, por isso, altamente estressantes, e, para completar, a programação da televisão é simplesmente insuportável para quem decide ficar trancado em casa. Pior ainda é quando o domingo é chuvoso. Não dá vontade de sair da cama nem para ir ao banheiro. Garfield que me desculpe, mas a segunda-feira não é o dia mais detestável da semana.


Por: Marcelo Teixeira

 
Pesquisar