José T. Giorgis

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017 às 0:00

Nils Taranger e a Assembleia de Deus de Bagé

Chegando a Porto Alegre, onde a Assembleia de Deus se expandia, os Taranger são designados, sucessivamente, para congregações de Cachoeira, Caxias, São Luiz Gonzaga, Alegrete e até Artigas, no Uruguai; e Bagé, em 1948, onde passam a residir, com seus dois filhos.
Naquele ano, tristemente, falece um dos meninos, mas Mary engravida dois anos após. Já eram amigos de um médico, genro do diretor do hospital, que ao saber das dificuldades financeiras do casal para pagar as despesas hospitalares disse não importar, pois "essa criança vai nascer dentro do nosso hospital", o que aconteceu na noite chuvosa de 21 de março de 1951, com o parto de Willis. Ao indagar do obstetra, Nils insiste em saber o débito, mas o Dr. Dido retruca que "quando forem à Suécia comprem alguns equipamentos cirúrgicos para mim", passando os integrantes da família a brincar que "Willis nascera a crédito". Em 1954, em casa, Mary dava a luz a Carlos.
Nos anos cinquenta, Nils recebe presentes da Suécia: uma geladeira a querosene e uma vitrola de disco 78 rotações, o que causou surpresa na cidade pelo inusitado dos brindes, tornando a casa motivo de constantes visitas, e viajam para a Escandinávia, de navio, em 1951, para se apresentarem à igreja que os enviara.
Ao retornar para um período de seis anos, investem no trabalho da Escola Dominical, inclusive em Santa Tereza, no ensino, cultos de oração e cura, sempre ocupando salões ou amplas casas para seu exercício, vangloriando-se o pastor que nunca pagara aluguel quando aqui esteve ante a generosidade dos bajeenses.
Para se deslocar ao interior, Nils usava bicicleta ou carroça puxada por um cavalo manco, arrematado por vinte cruzeiros em leilão do Exército. Com a morte do equino num inverno, Nils adquire um Ford Prefect para os deslocamentos, agora também Dom Pedrito, cujo templo foi inaugurado com a presença de setecentos crentes de Bagé, levados de trem; Lavras do Sul, onde o povo foi atraído em vista de sermão do padre local que avisara a chegada de "lobos vestidos de cordeiro", o que, ao contrário, determinou grande comparecimento de lavrenses para ouvir Nils cantar, tocar acordeon e pregar, tanto que a cidade denominou a Assembleia de "religião do homem da gaita"; Pinheiro Machado, onde teve o auxílio de um fazendeiro e uma junta de bois, para retirar Ford do atoleiro; Hulha Negra, Aceguá e São Gabriel.
A instalação da Assembleia de Deus em Bagé, segundo regista a imprensa local, deu-se em 6 de dezembro de 1949, desenrolando-se as atividades por vários imóveis, como se disse antes; no início da década de cinquenta Nils adquire três terrenos para a construção de asilo, o que não realizou em vista de sua transferência para Porto Alegre. O templo atual, na João Telles, 1599, foi também comprado por ele, eis que morava na mesma rua.
Um dos últimos atos foi orar e converter um vizinho, proprietário de fábrica de fumo, que anos atrás havia proibido a mulher, que agonizava em vista de um câncer, do qual faleceu,de receber visitas de Mary, que lhe entregava revistas evangélicas.

Em 1954, Gustavo Nordlund sofria forte oposição em Porto Alegre, o que obrigara a Junta de Pastores a desligar ditos rebeldes. Ante a velhice do pastor Nordlund, e a negativa de alguns candidatos, depois de muito rezarem, um deles exclamou: "É Nils Taranger. Vamos trazê-lo de Bagé"
Embora emissários e correspondências, Nils não desejava sair de Bagé, onde progredia sua atividade missionária, mas acabou convencido que isso era vontade do Senhor. Na cerimônia de despedida, os filhos Pedro e Gunilla muito choraram, viajando no dia 3 de março de 1955, com muitos irmãos, comparecendo à rodoviária. Aqui, como substituto, ficou o pastor Ascendino Pereira.
O casal teve sucesso em Porto Alegre, onde nasceram os filhos Ana Tereza e Stanley Joel. Nils receberia a Medalha Cidade de Porto Alegre, a de Honra ao Mérito do RGS e a de Cidadão de Porto Alegre (1989). Também a de Doutor Honoris Causa, na Índia, pelo atendimento de leprosários e orfanatos quando lá esteve (1978). A Suécia homenageou o casal pelos 50 anos de partida para o Brasil e 55 anos de casamento (1996), embora as ofertas de permanecer na Suécia, com inúmeras vantagens, preferiram retornar.
Nils faleceu em 5 de janeiro de 2003, aos 86 anos, estando inumado no Jardim da Paz, depois de disseminar muitas obras pelo Rio Grande com sua ação missionária.

1 - O "Dr. Dido", possivelmente seria o Dr. Albert Guidoux, genro do Dr. Mário Araújo. Em 1998 os filhos Pedro e Willis vieram a Bagé atrás de recordações, e, ao entrar num bar próximo à Viação Férrea, encontraram uma pessoa cega, morena e com setenta anos, "criado por um médico que lhe dera o estudo", que se lembrava do estrangeiro "americano ou alemão", gente especial, que fundara a Assembleia de Deus aqui. 

Fontes: 1."Coração Missionário. A vida e obra de Nils e Mary Taranguer", de Luciano Stein. Editora Esperança, Porto Alegre, 1998. 2. "Igreja Evangélica Assembleia de Deus", de Frederic Linck, em "Enciclopédia Rio-Grandense", 4ºv. Editora Regional Ltda, Canoas, 1957. 3. "Correio do Sul", edição de 06.12.1949.


Por: José Carlos Teixeira Giorgis

 
Pesquisar