Dilce H. dos Santos

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017 às 0:00

Só não me faz te pegar nojo!

Este é um ditado popular gaúcho que além de evidentemente engraçado revela certa sabedoria. "Não me faz te pegar nojo" é quase um pedido de ajuda. Cuidado, não abuse! Coopera para que eu não me afaste de ti definitivamente. Contribui, por favor, para que eu não me desgoste de todo, que eu ainda te respeite de alguma forma, enfim, muda criatura! É uma forma espirituosa de alertar para o fato de que - todos nós - se não fizermos uma constante reflexão e autocrítica, seguidas de mudança de comportamento, podemos abusar da paciência, da confiança, da simpatia ou da consideração daqueles que nos cercam.
Virar o tabuleiro do jogo e tentar pensar que a situação de causar cansaço através de nossos comportamentos em pessoas que nos cercam, e que gostam de nós por pura preguiça de se rever ou mudar, pode ser a maior contribuição desse dito gauchesco.
Ou seja, que eu não abuse:
Da amizade, de vez em quando é preciso alimentá-la com gestos que não sejam de egoísmo.
Da simpatia, pois muitas ações cruciais não são nada simpáticas.
Da superficialidade, pois aprofundar e entrar em detalhes é também libertador.
Da vontade de estar bem com todos sempre, às vezes é necessário se comprometer.
Da falsidade, pois tentar convencer as pessoas do contrário é que realmente soa falso, às vezes vale mais a pena ser impopular e sincero.
Da sinceridade, porque ninguém precisa saber de todos os detalhes. Ser sincero não é exatamente a mesma coisa que ser grosseiro ou sair falando tudo o que passa na mente.
Do levar-se a sério demais. Ninguém é tão competente ou importante assim para justificar essa atitude.
Por fim, que eu nunca, jamais, em hipótese alguma, faça o que mais me aborrece nos outros, que no meu caso é subestimar a capacidade que todos têm de compreender o que realmente está acontecendo.


Por: Dilce Helena dos Santos

 
Pesquisar