Saúde

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017 às 0:00

A volta às aulas está próxima: hora de cuidar da visão do seu filho. Conheça alguns dos principais problemas e saiba dicas de como identificar e tratar

Este período que antecede a volta às aulas, é uma ótima oportunidade para realizar um check-up oftalmológico nas crianças. A estimativa é que de 10 a 15% delas em idade escolar apresentem problemas oculares que podem prejudicar o aprendizado.

Visão na infância pode ser tratada - Créditos: Divulgação
Visão na infância pode ser tratadaDivulgação
Tablets e celulares devem ser usados apenas de uma a duas horas por dia - Créditos: DivulgaçãoRoberta ressalta a necessidade de controlar o uso das tecnologias - Créditos: Maritza Costa/Especial JM

A volta às aulas está próxima: hora de cuidar da visão do seu filho. Conheça alguns dos principais problemas e saiba dicas de como identificar e tratar

Volta às aulas e a visão das crianças: que cuidados tomar

Este período que antecede a volta às aulas, é uma ótima oportunidade para realizar um check-up oftalmológico nas crianças. A estimativa é que de 10 a 15% delas em idade escolar apresentem problemas oculares que podem prejudicar o aprendizado.
Detectar esses problemas visuais precocemente é fundamental não somente para evitar o comprometimento visual permanente (algumas doenças oculares apenas têm tratamento na infância), como também para evitar atraso no aprendizado.
Quando se fala de doenças infantis, se sabe que, muitas vezes, o diagnóstico é dificultado, pois os pequenos não têm parâmetros para comparar e saber se algo está errado.  É justamente o que acontece com a visão. Por isso, é tão importante prestar atenção em detalhes que podem revelar o problema o mais cedo possível.
Para falar um pouco mais do assunto, o MINUANO Saúde ouviu a oftalmologista Roberta Fico. Ela alerta que todas as crianças a partir dos seis meses já podem fazer exames de visão e que o ideal é que antes de um ano de idade já tenha realizado algum exame. Ela explica que o Teste do Olhinho, realizado nos primeiros dias de vida do bebê, serve para afastar a hipótese de doenças mais graves, porém não consegue detectar falhas mais simples, como grau, por exemplo.
Como indícios de que pode haver algo errado na visão da criança, a médica cita o reflexo vermelho da pupila nas fotos e o olho torto. "Até uns três, quatro meses, é normal a criança desviar muito o olhar. Depois disso, já é motivo para se preocupar", salienta.
É importante observar, também, se ela assiste à televisão muito de perto, se reclama de dor de cabeça no final do dia ou se tem irritação nos olhos e passa a mão com frequência. "Mas, na maioria das vezes, é assintomático e por isso é difícil perceber", avalia Roberta.

Uso de tecnologias
Quem tem filhos sabe que atualmente é praticamente impossível evitar que tenham contato com as ferramentas das novas tecnologias, como tablets e celulares, por exemplo. E a oftalmologista confirma que é perigoso o uso diário desses aparelhos. "Prejudica sim. O ideal é incentivar a criança a brincar mais ao ar livre e usar o mínimo possível. Até os dois anos de idade o melhor é evitar. Após isso o recomendável é controlar e estipular no máximo de uma a duas horas de uso por dia", alerta. Roberta informa que os casos de miopia têm aumentando nos últimos anos em função do uso excessivo dessas ferramentas.  

Sinais na escola
Muitas vezes, é na iniciação escolar que os primeiros sinais de problemas de visão aparecem. Se a criança começa a sentar cada vez mais perto do quadro, reclama de dor, tem dificuldade de aprendizado e costuma trocar letras, é necessário investigar.
O fator hereditário nos de problemas de visão é importante, mas a profissional diz que nos graus mais elevados a interferência é maior. Ela explica, ainda, que a visão se desenvolve completamente até os sete anos de idade, por isso a importância da detecção precoce de qualquer problema. "Se for detectado precocemente, pode ser revertido e proporcionar que a criança enxergue melhor", ressalta. Ela acrescenta, ainda, que a maioria dos casos se trata com uso de óculos ou do chamado tampão. "Cirurgia somente é necessária em casos mais graves", comenta.

Alguns dos problemas mais recorrentes
A miopia, o astigmatismo e a hipermetropia são os problemas de vista mais comuns em crianças e bebês. As crianças podem ter estes problemas como também estrabismo, que são os olhos desviados ou cruzados. Outras definições também fazem parte da lista, como a ambliopia, ou seja, olho preguiçoso ou, ainda, a ptose, que é a queda da pálpebra superior. Todas estas doenças podem alterar a vida escolar dos iniciantes nos estudos. É importante lembrar que o cuidado dos olhos das crianças também inclui protegê-los dos efeitos dos raios UV emitidos pelo sol.


Por: Jornal Minuano

 
Pesquisar