Cidade

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017 às 0:00

Depois de anunciar que não haveria Carnaval, Secretaria de Cultura não tem definição sobre o tema

 Desfiles ainda geram dúvida  - Créditos: Arquivo JM
Desfiles ainda geram dúvida Arquivo JM

Há apenas 45 dias da festa mais popular do País, a situação do Carnaval de rua em Bagé ainda não está definida, diferente do que havia sido informado no final do ano passado pelo secretário municipal de Cultura e Turismo, Fabiano Marimon. Ao se apresentar no novo cargo, ele chegou a afirmar que não seriam realizados os desfiles de rua. Ontem, Marimon disse que ainda não tem uma definição sobre o tema.
O secretário adianta que a decisão final deve ser tomada com pelo menos um mês de antecedência do início oficial do Carnaval. "Semanalmente estamos fazendo reuniões com as entidades carnavalescas para avaliar a questão. O que quero deixar bem claro é que a secretaria quer muito fazer. Estamos construindo esta viabilidade, buscando recursos e parcerias", disse, acrescentando que desde o período de transição estão construindo alternativas.
O presidente da Associação Bajeense de Entidades Carnavalescas (Abec), Maurício Camargo, diz que as entidades estão se preparando em ritmo lento, já que não há garantia de realização da festa. "Não adianta investir sem garantia, porque depois não há ressarcimento. As entidades estão ensaiando, mas em ritmo lento. Fica curto o tempo para se organizar a partir da decisão, mas isso ocorre todos os anos, já estamos acostumados", conta. A associação representa dez entidades, entre blocos carnavalescos, burlescos e escolas de samba.
Para Neimar Rodrigues, presidente da Associação Cultural de Escolas de Samba de Bagé (Acesb), as entidades estão se organizando, mas de forma muito precavida. "Muitas já haviam iniciado os ensaios, mas tem cerca de três ainda aguardando a decisão final. Algumas já tinham samba enredo e outras questões adiantadas porque no ano passado não teve desfile. Quando for definido, os preparativos serão intensificados", comenta. Atualmente, oito escolas participam da Acesb.

Marchinhas de Santa Thereza com cobrança de ingresso
O Carnaval das Marchinhas de Santa Thereza vai permanecer, porém com uma alteração. Neste ano serão cobrados ingressos para os dois bailes de Carnaval. A justificativa, segundo Marimon, é que não há verbas para a realização dos bailes, além de ser uma fonte de renda que será dividida entre as entidades carnavalescas e a Associação Pró-Santa Thereza. "Além disso, proporciona um Carnaval mais seguro e profissional, com maior qualidade de equipamento e maior estrutura", analisa.
Os bailes acontecem nos dias 11 e 18 de fevereiro, das 21h às 24h, com apresentação de bandas. Outro diferencial é que nestes bailes será escolhida a Rainha do Carnaval de Bagé. "A ideia é agregar tudo em um evento, para unir forças e gerar maior público", diz o secretário. O ingresso custará R$ 10 e crianças menores de 12 anos não pagam. "O lucro poderá ajudar a viabilizar o Carnaval de rua da cidade. Não queremos mudar o sucesso do Carnaval de Santa Thereza, apenas agregar", acrescenta.
Outro projeto já definido é o Samba na Praça, que vai retornar a partir deste sábado, das 11h às 14h, até o último sábado antes do Carnaval. O desfile do Galo Caixeiro do Meio Dia e de outros blocos também está confirmado para o sábado de Carnaval, na avenida Sete de Setembro.
Para 2018, Marimon diz que já quer planejar com antecedência o Carnaval desde março deste ano. "Queremos apoiar as entidades e organizar tudo com mais antecedência", finaliza.


Por: Maritza Costa

 
Pesquisar