Cidade

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017 às 0:00

Secretário afirma que mudanças na UPA visam atendimento mais ágil

 Atendimento deve ser mais humanizado - Créditos: Antônio Rocha
Atendimento deve ser mais humanizadoAntônio Rocha
 Modificações visam melhorar agilidade - Créditos: Antônio RochaFloriano assumiu coordenação - Créditos: Antônio Rocha

A reportagem do MINUANO conversou, ontem, com o secretário municipal de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência, Mário Mena Kalil. O objetivo da entrevista é esclarecer para a população as mudanças implementadas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Segundo ele, a prioridade é evitar espera desnecessária pelo atendimento no local, agilizando procedimentos.

Uma das melhorias é a implantação do Gabinete Odontológico no local, já que o serviço não está mais sendo oferecido no Posto Sá Monmanny. Das 18h às 22h, urgências dentárias poderão ser tratadas na UPA. O serviço deve voltar a ser oferecido dentro de, no máximo, duas semanas. "É um horário crítico e de muita procura, por isso é prioridade. Só precisamos adequar o espaço", comenta.
Outra mudança é uma reestruturação na farmácia da UPA, para que os usuários já possam sair de lá com o medicamento em mãos. E num prazo de 30 a 60 dias deve ser instalado um laboratório dentro da unidade, para que a equipe tenha os laudos mais rapidamente.
Conforme o coordenador da UPA, José Floriano, o acolhimento é uma prioridade. "Queremos melhorar a recepção ao paciente, com o objetivo de diminuir o tempo de espera em casos desnecessários. Quando não há, por exemplo, muitas pessoas a serem atendidas, não há necessidade de engessar a escala de prioridade", explica. Ele acrescenta que assumiu a unidade com o compromisso de qualidade e humanização.

Nova equipe
Toda a equipe de chefia da UPA mudou. Além de Floriano como coordenador, o médico Rodrigo Marquetoti, que já coordena urgências e emergências em toda a rede, passa a ser coordenador médico da unidade. A enfermeira Liliane Gasparoni está como coordenadora de Enfermagem.
Em média, mensalmente, a UPA atende mais de seis mil pessoas. Somente em janeiro, até o dia oito, já foram mais de 1,4 mil atendimentos, dos quais 678 eram da escala azul, ou seja, sem urgência e que poderiam esperar até quatro horas pelo atendimento sem risco de morte. Apenas um foi da escala vermelha. Marquetoti ressalta que é preciso enfatizar que muitos atendimentos podem ser feitos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e não na UPA.


Ministério da Saúde flexibiliza regras
O Ministério da Saúde anunciou que vai flexibilizar regras para o funcionamento das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Com isso, cada unidade poderá ter no mínimo dois médicos. Antes, era exigido o número mínimo de quatro profissionais por unidade.
Caberá a cada município definir o número de profissionais na equipe. A partir do tamanho da equipe médica, será estabelecido o valor de custeio que será repassado ao município. Em Bagé, segundo Mário Mena Kalil, não vai diminuír o número de profissionais.


Por: Maritza Costa

 
Pesquisar