Dilce H. dos Santos

terça-feira, 10 de janeiro de 2017 às 0:00

Janeiro, não deixe passar em branco!

A sabedoria dos clássicos filósofos gregos pregava mens sana in corpore sano, ou seja, mente sadia em um corpo saudável. Esta crença se deve ao fato da complementaridade destes dois aspectos da vida em harmonia. Muito atual este conceito de unidade e hoje tentamos compreender o que eles há muito já sabiam, não há como fazer esta separação, um interfere no outro, o cultivo de um implica em reflexos no outro, o desprezo por aquele repercute em penalização deste e vice-versa.
Impossível falar em saúde sem falar em autoestima e atenção às emoções. Sempre que estou num momento difícil ou em contato com meu trabalho clínico faço a seguinte pergunta: Como está a qualidade dos teus pensamentos? A relevância desta pergunta é nos reconectar com o centro de nós mesmos, nossa vida psíquica que, muitas vezes, nos impõe pesados fardos que ao serem ignorados levam a sofrimentos e adoecimentos da alma e do corpo. Tentar descobrir, desvendar o que se passa em nosso mundo interno contribui e muito para a melhoria da qualidade de nossa vida e na construção de nosso entorno externo.
Janeiro Branco, a exemplo do Outubro Rosa, é um marca texto no calendário, chamando atenção para a saúde mental e a sua relevância na totalidade da vida das pessoas. Propõe a conscientização sobre a importância em buscar o cultivo do eu, das atenções especializadas nas inúmeras formas de atendimentos psicológico e psiquiátrico. Não se trata tão somente de cuidar e prevenir as doenças mentais, e sim dar atenção plena ao universo interior e respeitar que viver implica em ter vários momentos difíceis; não estamos sempre felizes, embora a sociedade de consumo imponha isso. Esses momentos críticos variam de pessoa para pessoa e dos diversos períodos porque vamos passando ao longo da existência. Percebê-los e saber buscar ajuda nos tira do isolamento, nos torna mais sábios, mais tolerantes com a vida em comunidade e mais conhecedores de nós mesmos.
Esta campanha, idealizada pelo psicólogo Leonardo Abrahão, em Uberlândia, desde 2014, convoca a adesão de todos para criar o maior número de ações possíveis trazendo notoriedade ao tema.
Saúde das emoções, dos pensamentos, comportamentos, sentimentos, das relações e dos afetos. Cultivar a qualidade da vida interior é um chamado ao cultivo da alma e sua essência única. Quem cuida da mente, cuida da vida.


Por: Dilce Helena dos Santos

 
Pesquisar