Padre Airton Gusmão

sábado, 26 de novembro de 2016 às 0:00

Advento: um convite à vigilância e à esperança

Numa espécie de testamento espiritual, o teólogo Karl Rahner assinou a famosa afirmação: "O cristão do futuro ou será místico ou nada será". Na opinião dele, há dois traços emergentes no perfil do crente contemporâneo: por um lado, a sua espiritualidade precisa ser vivida continuamente na primeira pessoa, solicitando-lhe um imprescindível despertar de consciência; e por outro, ele é chamado à coragem de uma decisão de fé no Espírito, que acolha a força de si mesma, provando efetivamente uma experiência pessoal de Deus e do seu Espírito (A Mística do Instante, José Tolentino Mendonça, pag. 35).
Estamos iniciando o Advento, um tempo litúrgico que nos coloca em permanente expectativa da vinda, da manifestação de Deus e de seu Reino em nossa realidade. Nas duas primeiras semanas deste tempo litúrgico, vigilantes e alertas, esperamos a vinda definitiva e gloriosa do Cristo Salvador, e nas duas últimas semanas, lembrando a espera dos profetas e de Maria, preparamos mais especialmente o seu nascimento em Belém.
O Evangelho deste primeiro domingo do Advento nos diz que: "A vinda do Filho do Homem será como no tempo de Noé; pois nos dias antes do dilúvio, todos comiam e bebiam, casavam-se e davam-se em casamento. E eles nada perceberam até que veio o dilúvio e arrastou a todos. Assim acontecerá também na vinda do Filho do Homem. Portanto, ficai atentos, ficai preparados" (Mt 24,37-44).
Todo acontecimento deve ser considerado uma vinda de Jesus. Em tudo o que acontece, ele está vindo ao nosso encontro, está mostrando-nos nova esperança e novo caminho, está lançando diante de nós um desafio e nos pedindo a resposta de uma atitude nova, diferente. Deus nos fala pela natureza, pelos acontecimentos e pelas pessoas.
Nesta mesma linha de apelo à vigilância e esperança ativas, Paulo vem nos convidar a um novo estilo de vida, afirmando que: "Já é hora de despertar, despojando-nos das ações das trevas e revestindo-nos de Jesus Cristo" (Rm 13,11-14). Aprendendo a ler os sinais dos tempos, resistindo a todo tipo de maldade e obedecendo à Palavra de Jesus Cristo, estaremos ajudando a construir o homem novo, uma nova História e o Reinado de Deus entre nós.
Aqueles que não têm esperança em outro mundo possível estão dormindo. Um mundo novo está vindo, está para ser construído; é preciso estar acordado, viver como em pleno dia, fugir do consumismo, da alienação e indiferença, que não dão nenhum sentido à vida.
Existem vários motivos que impedem hoje a acolhida do Senhor que vem: os prazeres da vida (a pessoa, mergulhada nos prazeres, fica alienada - no domingo, dorme, passeia, pratica esportes, mas não sobra tempo para celebrar a sua fé na Comunidade eclesial); trabalho excessivo (a pessoa obcecada pelo trabalho esquece o resto - Deus, a família, os amigos, a própria saúde); desatenção (o distraído não vê o Cristo presente na pessoa sofredora, achando que não é problema seu, dizendo que é do governo, da Igreja).
Somos convidados a participar dos Encontros de preparação para o Natal cristão, a chamada Novena de Natal, como sendo uma maneira de intensificar a espera e alimentar a esperança do Senhor que veio, vem e virá; não ficando assim prisioneiros do "natal" comercial e consumista. Também somos convocados a nos envolver na Campanha da Evangelização que acontece neste tempo de Advento, com a consciência de que temos o compromisso evangelizador, ajudando assim, a superação de uma mentalidade individualista e visão subjetiva da religião. A Coleta da Campanha da Evangelização estará acontecendo nos dias 10 e 11 de dezembro.
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.


Por: Padre Airton Gusmão

 
Pesquisar