Norberto Dutra

sexta-feira, 18 de novembro de 2016 às 17:54

Jesus nas Sinagogas e as Multidões (parte três)

Podemos observar que no caso específico que estamos tratando (a história do paralítico narrada em Marcos dois) tinha uma causa pela qual aquele homem se encontrava nesse estado, como sabemos isto?  Deduzimos pela forma como Jesus tratou o problema. Nunca devemos nos esquecer que Jesus tem o atributo de conhecer todas as coisas, portanto conhecendo a causa, que tinha levado este homem a esta situação, Cristo Jesus trata da causa em primeira instância. Obviamente a causa era o pecado, desta forma o divino Mestre trata primeiramente da causa, para depois tratar do efeito.
Gostaria de alertar o querido leitor, deste assunto justamente "a causa" devemos de ter consciência da situação que, porventura estamos atravessando, necessariamente haverá uma causa que nos levou a nos encontrar onde estamos. Faremos bem em detectar a causa, pois se não tratarmos primeiramente o motivo, não nos trará bons resultados pular etapas e ir diretamente ao efeito.

Quando se trata de lidarmos com o criador jamais deveremos esquecer que ELE conhece tudo o que se refere a nossas vidas inclusive a intenção de nosso coração. Observemos as Sagradas Escrituras: "Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma, e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos. E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrario, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas" Hebreus 4: 12-13.
Por vários motivos, os Escribas não entenderam nem aceitaram a atitude de Jesus.
Apesar de serem conhecedores da lei, não entenderam que justamente se tratava do Messias prometido.
Os seus corações estavam cheios de ódio, inveja e ciúme.
Por último, não aceitavam o Cristo como filho do Eterno Deus.
Vivemos um tempo de muita confusão, seja no âmbito religioso, político, social e econômico, bem como no mundo globalizado, tudo isto exige de nós muito cuidado no momento de tomar decisões que envolvem nosso interior (alma), pois, muitas vezes, Deus no seu infinito amor está com seus braços estendidos, para nos ajudar a curar a "causa" e nós não temos a capacidade, humildade e o desejo que ELE em verdade nos liberte. Não esqueça: Jesus primeiramente resolveu a "causa" e imediatamente resolveu o "efeito" no caso a paralisia.  Por tanto aquele homem recebeu primeiramente o perdão dos seus pecados para logo ficar curado do corpo, isto nos diz claramente: primeiro a alma, logo o corpo.
Deus abençoe a todos nossos queridos leitores, e continuem nos prestigiando com a vossa leitura.  Até a próxima semana permitindo o Senhor. Amém!


Por: Norberto Dutra

 
Pesquisar