Padre Airton Gusmão

sábado, 19 de novembro de 2016 às 0:00

O reinado de Cristo através dos leigos e leigas

Celebramos neste domingo, 20, quando encerramos o Ano Litúrgico e o Ano Jubilar da Misericórdia, a Solenidade de Cristo, Rei do Universo. Ele é o nosso Rei que preside a partir do trono da Cruz e de uma coroa de espinhos, um reino de serviço, de amor, de entrega, de dom da vida (Lc 23,35-43).
Os caminhos do prestígio e do poder humanos jamais levarão o mundo a alguma mudança, pois somente farão reafirmar o reinado do dinheiro e da arrogância. Outro mundo e outro reinado apenas poderão vir dos caminhos opostos, os caminhos da humildade e do serviço. A cruz significa o caminho novo que se abre.
Nós, muitas vezes, rezamos na Oração do Pai Nosso: "Venha a nós o vosso Reino". O reinado de Jesus Cristo que passa pela cruz é o reino de verdade e de vida, de santidade e de graça, da justiça, do amor e da paz. Este reinado é dom, graça, mas também precisa de mãos humanas para que ele continue crescendo na história. E aí nos perguntamos: quem é o cristão leigo? Qual a sua missão? Como participam do Reinado de Cristo? Onde os cristãos leigos devem estar e atuar?
Essa tarefa de fazer o Reinado de Cristo acontecer no mundo, em todas as realidades, é missão dos fiéis leigos e leigas que são "os cristãos que estão incorporados a Cristo pelo batismo, que formam o povo de Deus e participam das funções de Cristo: sacerdote, profeta e rei. Realizam, segundo sua condição, a missão de todo o povo cristão na Igreja e no mundo"(Constituição Dogmática Lumen Gentium - Sobre a Igreja, nº 31).
A eclesiologia do Concílio Vaticano II compreende o cristão leigo plenamente como membro efetivo da Igreja e não como um fiel de pertença menor ou inferior, a quem faltasse algo da comum dignidade cristã; trazendo o significado positivo do cristão leigo, superando interpretações que o considerem como cristão de segunda categoria dentro e fora da Igreja (Documento 105 da CNBB, nº17).
Há um belíssimo texto da Carta a Diogneto que fala da presença e missão dos cristãos no mundo: "Assim como a alma está no corpo, assim os cristãos estão no mundo. A alma está espalhada por todas as partes do corpo; os cristãos, por todas as partes do mundo. A alma habita no corpo, mas não procede do corpo; os cristãos habitam no mundo, mas não pertencem ao mundo" (nº 6).
Aos cristãos leigos e leigas pertence a bonita missão de testemunhar na comunidade eclesial e no mundo a fé que professam, a partir do reinado de Cristo ou fazendo acontecer o Reino de Deus, movidos pela graça do Batismo que os fazem participantes da missão sacerdotal, profética e real de Cristo.
É importante destacar que o espaço próprio do ser e agir dos leigos é o mundo vasto e complexo da política, da realidade social e da economia, como também da cultura, das ciências e das artes, da vida internacional, dos Meios de Comunicação Social, e outras realidades abertas à evangelização hoje, como a família, a educação, o trabalho profissional, o cuidado com a Casa Comum.
Nossa gratidão pela vida e testemunho de muitos homens e mulheres que vivem esta consciência madura e missionária de serem cristãos leigos e leigas na comunidade eclesial e na sociedade, como sal da terra, luz do mundo e fermento do Reinado de Cristo já presente entre nós, a caminho do Reino definitivo.
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação e perseverantes na oração. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.


Por: Padre Airton Gusmão

 
Pesquisar