José Artur Maruri

sábado, 12 de novembro de 2016 às 0:00

Sócrates e a ideia cristã

Sócrates fora creditado por seu discípulo Platão como responsável por levar a filosofia numa direção mais ética e política. Ele teve tamanha importância como filósofo que a história dos filósofos da Grécia clássica é dividida entre os pré-socráticos e os pós-socráticos.
  Daí se insere uma primeira semelhança com o ícone do cristianismo, Jesus de Nazaré, que, aliás, dividiu a história geral entre os fatos antes dele e depois dele.
  No dizer de Allan Kardec, muitas semelhanças existem entre as duas doutrinas (socrática e cristã), entre elas "Sócrates, como o Cristo, nada escreveu ou, pelo menos, nenhum escrito deixou. Como o Cristo, teve a morte dos criminosos, vítima do fanatismo, por haver atacado as crenças que encontrara e colocado a virtude real acima da hipocrisia e do simulacro das formas; por haver, numa palavra combatido os preconceitos religiosos".
  Do mesmo modo que Jesus, a quem os fariseus acusavam de estar corrompendo o povo com os ensinamentos que lhe ministrava, também ele foi acusado, por proclamar o dogma da unidade de Deus, da imortalidade da alma e da vida futura.
  Sócrates é ainda creditado por Aristóteles como o primeiro filósofo a buscar definições universais para as virtudes morais, tendo contribuído para as áreas da epistemologia, procurando entender a extensão do conhecimento humano; política, em que defendia o filósofo como governante ideal; ética, em que defendia que a melhor forma de viver é focar na virtude; entre outros temas.
  O codificador do espiritismo, Allan Kardec, não incluiu o resumo da doutrina de Sócrates e de Platão na introdução de O Evangelho Segundo o Espiritismo ao acaso. Disse, ainda, que tal inclusão ou comparação não podia - e nem devia - ser considerada profanação, visto que Sócrates e Platão eram pensadores pagãos, ao contrário, a doutrina de Sócrates combatia veementemente o paganismo e a Doutrina de Jesus, mais completa e mais depurada, nada tinha a perder com a comparação.
  Nesse sentido, manifesta-se Allan Kardec:
  "O homem há chegado a um ponto em que a luz emerge por si mesma de sob o alqueire. Ele se acha maduro bastante para encará-la; tanto pior para os que não ousem abrir os olhos. Chegou o tempo de se considerarem as coisas de modo amplo e elevado, não mais do ponto de vista mesquinho e acanhado dos interesses de seitas e de castas".
  Que estejamos entre aqueles que ousam abrir os olhos e possamos, com isso, escolher o caminho amplo e reto que leva à instalação do Reino propalado pelo Cristo, aqui na Terra, no amanhecer de uma nova era.
  Em nossa próxima participação traremos algumas citações que provarão que Sócrates e Platão pressentiram a ideia cristã e que em seus escritos se nos deparam os princípios fundamentais do Espiritismo.
   (Referências: Portal Infoescola. Acesso em 11 de novembro de 2016. http://www.infoescola.com/filosofia/socrates/. Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB Editora. Introdução. p. 32)


Por: José Artur M. Maruri dos Santos

 
Pesquisar