José Artur Maruri

sábado, 5 de novembro de 2016 às 0:00

Os essênios e a ideia cristã

Alguns estudiosos dizem que Jesus conviveu e conheceu a seita dos essênios antes de começar a propagar suas ideias.
  Os essênios detinham uma seita judia fundada cerca do ano 150 antes de Jesus Cristo, cujos membros, habitando uma espécie de mosteiros, formavam entre si uma como associação moral e religiosa.
  Dedicavam-se aos estudos do Torá - escrituras sagradas para os judeus e que formam os cinco primeiros livros do Antigo Testamento - jejuar, rezar e realizar rituais de purificação, numa espécie de comunismo primitivo, no qual todos os bens eram de propriedade coletiva.
  Em suas sociedades, que em geral excluíam mulheres, eles observavam rigorosamente os mandamentos de Moisés e obedeciam a uma estrita regra de disciplina, codificada em manuscritos, que regulava todos os detalhes da vida diária.
  "Após 142 a.C., cresceu a tendência de separação entre os judeus. Os essênios, então, retiraram-se para o deserto ou áreas onde pudessem observar rigidamente os mandamentos de Moisés", diz o teólogo Rafael Rodrigues da Silva, da PUC-SP.
  As semelhanças entre certos rituais dos essênios e rituais dos primeiros cristãos, como batismo e comunhão, há muito tempo geram um grande debate entre os historiadores. Alguns acreditam que João Batista foi um essênio e, como dito, que Jesus Cristo teve contato com o grupo.
Quem defende essas teorias lembra que as palavras "essenoi", em grego, e "esseni", em latim, são traduzidas como "aqueles que curam", o que seria uma referência a atividades parecidas aos milagres atribuídos a Jesus.
  Por outro lado, após a tradução integral dos manuscritos do mar Morto, o que ocorreu apenas no ano de 2002, não havia nenhuma referência direta a Jesus, João Batista ou aos primeiros cristãos.
  Segundo Allan Kardec, os essênios distinguiam-se pelos costumes brandos e por austeras virtudes, ensinavam o amor a Deus e ao próximo, a imortalidade da alma e acreditavam na ressurreição. Viviam em celibato e condenavam a escravidão e a guerra.
  Os essênios, provavelmente, foram exterminados pelos romanos, ou obrigados a deixar suas comunidades e fugir para salvar suas vidas, por volta do ano 68 d.C.
  Certo é que as grandes ideias jamais irrompem de súbito. Sempre tem os precursores que lhe preparam os caminhos, missão que também tiveram os essênios. Depois, chegado o tempo certo, Deus envia um homem com a missão de resumir, coordenar e completar os elementos esparsos.
  Ocorre que as ideias cristãs foram pressentidas muitos séculos antes de Jesus e dos essênios, tendo por principais precursores Sócrates e Platão.
  No entanto, a influência de Sócrates e Platão na ideia cristã e do Espiritismo é tema que terá continuidade nas próximas colunas.

   (Referências: Portal Mundo Estranho. Editora Abril. Acesso em 04 de novembro de 2016. http://mundoestranho.abril.com.br/historia/quem-eram-os-essenios/. Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB Editora. Introdução. p. 30-32)


Por: José Artur M. Maruri dos Santos

 
Pesquisar