Saúde

segunda-feira, 31 de outubro de 2016 às 0:00

Bichectomia: cirurgia para afinar o rosto

A bichectomia é a cirurgia em que há a retirada total ou parcial de duas bolsas de gorduras presentes em cada lado da boca, entre a maxila e a mandíbula, chamadas de bolas de Bichat. Essas bolsas de gordura estão presentes no corpo, não importa se a pessoa está ou não acima do peso

Bichectomia: cirurgia para afinar o rosto - Créditos: Reprodução
Bichectomia: cirurgia para afinar o rostoReprodução
Bichectomia: cirurgia para afinar o rosto - Créditos: ReproduçãoBichectomia: cirurgia para afinar o rosto - Créditos: ReproduçãoBichectomia: cirurgia para afinar o rosto - Créditos: ReproduçãoBichectomia: cirurgia para afinar o rosto - Créditos: ReproduçãoBichat - Créditos: ReproduçãoBichat - Créditos: Reprodução

Bichectomia: cirurgia para afinar o rosto

A bichectomia é a cirurgia em que há a retirada total ou parcial de duas bolsas de gorduras presentes em cada lado da boca, entre a maxila e a mandíbula, chamadas de bolas de Bichat. Essas bolsas de gordura estão presentes no corpo, não importa se a pessoa está ou não acima do peso. A finalidade da bichectomia é reduzir o volume do rosto, afinando as bochechas.
Quando a bichectomia é feita sem associação a nenhum outro procedimento, a cirurgia é intraoral, ou seja, o corte é feito dentro da boca, pois as mucosas bucais têm uma melhor cicatrização e não deixam marca aparente. Nesses casos, o paciente recebe anestesia geral ou anestesia local e sedação. Depois, o médico procura as marcas anatômicas no interior da boca, que indicam a localização das bolas de Bichat. Uma incisão é feita e as bolsas de gordura são removidas totalmente ou apenas em parte.
No entanto, caso alguma outra cirurgia que envolva uma incisão na pele esteja sendo feita, como o lifting facial, a bichectomia pode ser feita em associação. Nesses casos, quando a pele é levantada para que seja reposicionada, o especialista já aproveita e remove as bolas de Bichat.
Nesta edição, a odontóloga Raíssa Fico explica como funciona essa nova técnica, já conhecida por celebridades.

Indicações e cuidados
A odontóloga destaca que a bichectomia é indicada para pessoas que querem afinar o rosto e reduzir o volume das bochechas. "Só apresentará bons resultados para pessoas que normalmente ficam com o rosto mais cheinho, mesmo quando não estão acima do peso", explica a profissional.

Motivos que levam o paciente a buscar a bichectomia:
 

- Insatisfação com volume muito grande das bochechas;
- Baixa autoestima e insegurança com a aparência do rosto;
- 'Traços' do rosto muito grosseiros e falta de harmonia na face;
- Rosto muito grande ao sorrir;
- Falta de definição da linha da mandíbula e pescoço;
- Excesso de 'papadas' no rosto e pescoço;
- Rosto com volume aumentado mesmo perdendo peso ("emagreço, emagreço e as bochechas continuam grandes");
- Desejo de uma estética facial mais atraente.

Raíssa salienta que a bichectomia costuma ser feita em pacientes que, com muito volume na região da "bola de Bichat" (gordura nas bochechas), acabam mordendo muito as bochechas, causando lesões na parte interna da boca. "A técnica é considerada uma cirurgia oral, de menor feito, com anestesia local, usada em procedimentos odontológicos. É feita uma incisão de um centímetro na parte interna da boca, na região dos molares, na localização da bola de Bichat, para sua remoção, finalizando com a sutura, um ou dois pontos", conta. A especialista completa dizendo que a cirurgia é feita no consultório e tem duração de 40 a 60 minutos, os dois lados.
A odontóloga informa que um dia antes do procedimento são feitas as fotos, para fazer a comparação do 'antes e depois' junto com a anamnese (entrevista com o paciente). "Nesta entrevista é avaliada a condição de saúde do paciente e possibilidade de realização da cirurgia", destaca.
Raíssa esclarece que antes da cirurgia é administrado antibiótico e anti-inflamatório como pré-operatório. Ela acrescenta que pode fazer o procedimento, o paciente que não tem a saúde geral e bucal comprometida.
Em relação à saúde bucal, esta condição representa a ausência de processos infecciosos e inflamatórios, cáries, gengivites, lesões periodontais e endodônticas. Em relação à saúde geral, representa a ausência de interferências na saúde como: pacientes com neoplasia, em tratamento de quimioterapia ou radioterapia, diabético, hipertenso, etc.
A especialista salienta que a partir de 18 anos já pode ser feita a cirurgia. "O resultado nos pacientes novos são mais perceptíveis", afirma. Ela também informa que o procedimento é contraindicado para pacientes hipertensos, diabéticos, em tratamento quimioterápico ou radioterápico, ou alérgico a algum medicamento ou anestesia.

Pós-operatório e cuidados
A cirurgiã-dentista explica que o pós-operatório é semelhante à extração do dente siso.
O pós-operatório da bichectomia é simples. A sociedade brasileira de odontologia explica que normalmente ocorre um inchaço na região, devido ao corte cirúrgico, que pode ser tratado com o uso de compressas de água fria. Caso a incisão tenha sido intraoral, indica-se evitar consumir alimentos cítricos, que podem causar maior desconforto. Além disso, o uso de protetor solar com fator de proteção maior que 30 é muito importante.
O retorno às atividades normais, em geral, demora uma semana, e a volta das atividades físicas depende da avaliação e indicação do médico.

 

Recomendações pós-operatórias:
 

 Não morder a parte anestesiada;
 Colocar compressa de gelo nas primeiras 48 horas; pois o inchaço aumenta nesse período podendo demorar até 15 dias para normalizar;
 Evitar falar, se expor ao sol e fazer exercícios físicos nas primeiras 48 horas;
 Fazer repouso durante 24 horas;
 Ingerir alimentação pastosa nas primeiras 24 horas.

 


Por: Jornal Minuano

 
Pesquisar