José Artur Maruri

sábado, 29 de outubro de 2016 às 0:00

Piedade

É sabido que após o êxodo, sob a liderança de Moisés, os hebreus se dividiram e passaram a idolatrar vários deuses, como faziam seus antigos algozes, nas terras do Egito.
Também é sabido que, após a vinda do Cristo, muitas atrocidades foram cometidas, fundamentadas em interpretações doentias das lições evangélicas.
No entanto, o próprio Cristo tinha consciência que a humanidade, ainda infantil, se desviaria da estrada reta e larga que conduz ao reino de Deus, por isso, prometeu a vinda do consolador.
"Se me amais, guardai os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro consolador, para que fique eternamente convosco, o espírito da verdade, a quem o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece. Mas vós o conhecereis, porque ele ficará convosco e estará em vós. - Mas o consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito" (João, XIV: 15 a 17 e 26).
Passados dezoito séculos da vinda do Mestre Jesus, ao tempo assinalado, o Espiritismo veio cumprir a promessa do Cristo, dando continuidade ao seu intento até os dias atuais.
Na lição de Allan Kardec:
"Ele chama os homens à observância da lei; ensina todas as coisas, fazendo compreender o que o Cristo só disse em parábolas. O Cristo disse: 'que ouçam os que têm ouvidos para ouvir'. O Espiritismo vem abrir os olhos e os ouvidos, porque ele fala sem figuras e alegorias. Levanta o véu propositalmente lançado sobre certos mistérios, e vem, por fim, trazer uma suprema consolação aos deserdados da Terra e a todos os que sofrem, ao dar uma causa justa e um objetivo útil a todas as dores".
Como bem disse "O espírito da verdade", em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Deus jamais quis aniquilar a raça humana, Ele quer que nos amemos uns aos outros, mortos e vivos, mortos segundo a carne, já que a morte do Espírito não existe.
O Espiritismo revela que a causa está nas existências anteriores e na própria destinação da Terra, onde o homem expia o seu passado. Revela também o objetivo, mostrando que os sofrimentos são como crises salutares que levam à cura, são a purificação que assegura a felicidade nas existências futuras.
O homem compreende que mereceu sofrer, e acha justo o sofrimento.
Realiza, o Espiritismo, o que Jesus disse do consolador prometido: conhecimento das coisas, que faz o homem saber de onde vem, para onde vai e porque está na Terra, lembrança dos verdadeiros princípios da lei de Deus, e consolação pela fé e pela esperança.
"Espíritas; amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instruí-vos, eis o segundo. Todas as verdades se encontram no Cristianismo; os erros que nele se enraizaram são de origem humana; e eis que, de além túmulo, que acreditáveis vazios, vozes vos clamam: Irmãos! Nada perece. Jesus Cristo é o vencedor do mal; sede os vencedores da impiedade!" - O Espírito da Verdade.
(Referências: Allan Kardec. O Evangelho Segundo o Espiritismo. FEB Editora. Cap. 6. Item 4 e 5)


Por: José Artur M. Maruri dos Santos

 
Pesquisar