Forte de Santa Tecla

sábado, 15 de outubro de 2016 às 0:00

Um projeto que valoriza o passado

Neste mês de outubro, será lançado o projeto Parque Forte Santa Tecla, uma iniciativa da Prefeitura de Bagé. Entre os inúmeros parceiros do projeto está a Universidade da Região da Campanha (Urcamp). Para marcar o lançamento, os cursos de História e de Jornalismo da universidade produziram um caderno especial.

Um projeto que valoriza o passado - Créditos: Arquivo Pessoal
Um projeto que valoriza o passadoArquivo Pessoal
Peças resgatadas do local - Créditos: Antônio RochaPlano do forte de santa tecla - acervo biblioteca nacional do RJ.  - Créditos: Reprodução Luiz Fernando RhodenPerfil do Forte - acervo da mapoteca do itamaraty - RJ - Créditos: Arquivo PessoalA Pró-reitora Elisabeth Drumm lançou a parceria na Semana Acadêmica do Curso de Jornalismo - Créditos: Yuri CougoReprodução do Forte no livro Inventário Cultural de Bagé - Créditos: Arquivo PessoalMaquete do Forte está no acervo do Museu Dom Diogo - Créditos: Antônio RochaPedaços de ossos, madeira e metal podem ser encontrados no local - Créditos: Antônio RochaPeças foram encontradas em uma pesquisa arqueológica feita em 1969 - Créditos: Antônio RochaUm projeto que valoriza o passado - Créditos: Arquivo Pessoal

Um projeto que valoriza o passado

Neste mês de outubro, será lançado o projeto Parque Forte Santa Tecla, uma iniciativa da Prefeitura de Bagé. Entre os inúmeros parceiros do projeto está a Universidade da Região da Campanha (Urcamp). Para marcar o lançamento, os cursos de História e de Jornalismo da universidade produziram um caderno especial.
A importância da preservação deste patrimônio histórico para a cidade e para o Estado é imensurável. Hoje, em território gaúcho, de fortes com estruturas remanescentes, restam somente as ruínas do Forte D. Pedro II, em Caçapava, e as fundações do Forte de Santa Tecla em Bagé, ambos
tombados pelo Patrimônio Histórico Nacional, além de alguns vestígios arqueológicos do entrincheiramento de São Martinho, em cidade do mesmo nome.
Assim, iniciativas como esta devem ser apoiadas por todos os setores da sociedade.  Projetos que vêm ao encontro da necessidade de fomentar uma cultura que valorize o passado da nossa região. Uma história riquíssima, mas ainda pouco explorada.

Expediente
Caderno elaborado pelos alunos dos cursos de Jornalismo e de História da Urcamp.
Professores coordenadores: Clarisse Ismério, Cristiane Pereira e Taiane Volcan.
Supervisor e editor: Glauber Pereira


Por: Glauber Pereira

 
Pesquisar