Raquel B. Garcia

quinta-feira, 18 de agosto de 2016 às 0:00

Eu já tinha pensado nisso!!!

Uma frase muito falada no mundo profissional, e cada vez mais: "Eu já tinha pensado nisso!!!". O que esta frase quer dizer por trás destas palavras? O que diz de seu autor, sem que este mesmo perceba?

De fato, várias são as oportunidades em que uma ideia ou pensamento cruza a consciência de alguém e por um ou outro motivo não sai do mundo das ideias, não deixa de ser apenas um pensamento, mas todo tempo, toda hora, lamento...
Dizer esta frase, em vez de promover o autor, como assim ele pensa, denuncia uma falta de senso de realização, porque já pensou em tudo antecipadamente e ainda não fez nada.
Este discurso pode ter várias nascentes. No mundo profissional estamos tratando de pessoas, e, como tal, cada uma com sua história e aquela gama de possibilidades a partir da combinação das emoções do cotidiano.
O uso desta expressão se dá por muitos motivos, mas nem sempre conscientes, e aí que mora o perigo, porque o que passa pela consciência gera censura e o que se disfarça na mente humana toma a forma que o indivíduo permite que tome, por isso a verdade é relativa.
Não ficar para trás é um dos motivos do uso frequente desta frase, até porque ela é verbalizada infinitamente mais vezes quando a ideia é boa do que quando não é, e a sensação consequente de tê-la dito é de que a ideia é mais importante que sua operacionalização, o que não reflete a realidade, pois de nada adiantam ideias fantásticas se não saírem do status de ideia.
A redução do outro é um outro motivo para o uso desta famigerada expressão, quando quem a diz tem a certeza de que pensou primeiro e o ineditismo tem um valor imenso, principalmente no que tange a inovação. Essa atitude inibe o comportamento alheio, que logo diminui seu ânimo diante de um momento em que passou para o segundo plano.
Outra das muitas questões associadas a este fato é a insegurança, que solicita momentos de afirmação constantemente ao seu portador. Ela se disfarça de superioridade e força o sujeito a pensar e mostrar que é o melhor, e pior, que este tem a nítida sensação de reforçamento a cada situação vivenciada.
Claro, que em diversas ocasiões, o indivíduo realmente já pode ter pensado em algo levantado agora, mas, neste caso, vai ter explicações bem convincentes para certificar os demais de seus pensamentos prévios e das justificativas de não tê-los colocado em prática.
Vale uma observação bem detalhada de si para aqueles que querem se conhecer mais e melhor, identificando no seu discurso se o que dizem representa quem são ou quem gostariam de ser.
Bom trabalho e sucesso.


Por: Raquel B. Garcia

 
Pesquisar