Renato Marsiglia

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015 às 16:50

Renato Marsiglia

Inter paga por seus erros

Li e ouvi que o Inter fez a sua parte, mas não foi ajudado pelo resultado do São Paulo. Ora, quem fez a sua parte foi o time paulista. O Inter não fez a sua parte, tanto que chegou na última rodada dependendo de resultados de terceiros. Tivesse feito a sua parte e o Internacional teria chegado na última rodada dependendo apenas de si próprio.

A propósito...
O Inter pecou ao longo da competição, principalmente quando priorizou a Libertadores e deixou o Brasileirão de lado, perdendo pontos importantes contra times que normalmente não perderia. Tinha que ter levado em paralelo as duas competições, pois não faz sentido contratar dezenas de jogadores para fazer rodízio. Errou feio no planejamento e pagou caro por isto.

Grêmio termina valorizado
O time de Roger Machado foi a Joinville e mostrou, acima de tudo, profissionalismo. Ultrapassar o Atlético-MG era quase impossível, pois este enfrentaria em casa uma desmobilizada Chapecoense. Mesmo assim, num campo encharcado, os jogadores se doaram e encararam a partida como se fosse uma final de campeonato. O time precisa de alguns poucos reforços para encarar a Libertadores, mas está muito bem encaminhado para o ano que vem.

Rebaixados: sem milagres
A última rodada não alterou o que já era esperado que viesse acontecer. O Joinville já estava rebaixado, o Goiás dependia de uma combinação de resultados quase impossível de acontecer e o mesmo vale para o Vasco da Gama. A vaga restante seria entre Figueirense e Avaí, com o primeiro jogando em casa contra um misto do Fluminense e o segundo enfrentando o Corinthians no Itaquerão. Deu a lógica. Ninguém tem do que reclamar.

A geografia do Brasileirão
Nada contra os catarinenses, mas com a queda de Figueirense e Avaí, junto à ascensão de Vitória (Bahia) e Santa Cruz (Recife), diluiu um pouco a concentração do Brasileirão que estava congestionada no sul-sudeste do País. O Nordeste, cujo torcedor é o mais apaixonado do Brasil, tem agora três representantes. Torço para que um time da região Norte chegue à elite, pois teríamos, geograficamente, um legítimo campeonato brasileiro.

Melhores do Brasileirão
Danilo Fernandes (Sport-PE); Marcos Rocha (Atl-Mg), Gil (Cor), Leonardo Silva (Atl-Mg) e Zeca (San); Elias (Cor), Jadson (Cor), Lucas Lima (San) e Renato Augusto (Cor); Luan (Gre) e Ricardo Oliveira (San). O técnico é Tite, e Roger Machado é a revelação. O melhor jogador é Renato Augusto (COR) e a revelação é  Lucas Lima (SAN). Anderson Daronco foi, disparado, o melhor árbitro.


Por: Renato Marsiglia

 
Pesquisar