Paulo Coelho

domingo, 2 de novembro de 2014 às 20:52

A Roda do tempo

Há anos morreu Carlos Castaneda, sem dúvida,o mais importante escritor da geração hippie, embora jamais tenha sido aceito pela intelectualidade.

Mas Castaneda pouco se importava com isso. 
Na ocasião, publiquei uma coluna com alguns trechos de seus livros editados no Brasil - e foi surpreendente o número de correspondência recebida. Muitos perguntavam: "mas ele viveu tudo o que diz?" Não tenho ideia, e isto tampouco tem importância - o que conta é a sua maneira de repensar o mundo. Para celebrar o primeiro aniversário de sua morte, seguem textos de "A Roda do Tempo" ("The Wheel of time", Laugan Productions), ainda inédito no Brasil, onde o próprio Castaneda selecionou o que lhe parecia mais importante de tudo que publicou:
***************
Um guerreiro aceita a responsabilidade de seus atos - mesmo os mais triviais. O homem comum nunca assume seus erros, mas assume qualquer vitória, mesmo que seja dos outros. Ele é um ganhador ou um perdedor, e pode transformar-se em perseguidor ou vítima, mas jamais chegará a condição de guerreiro, porque não merece.
***************
Um guerreiro às vezes deve ser disponível, e às vezes deve estar oculto. É inútil para um guerreiro estar todo tempo disponível, assim como é inútil esconder-se quando todos sabem onde ele está escondido. Alternando a disponibilidade com a indisponibilidade, ele não se cansa à toa, e não cansa aqueles que estão ao seu lado.
***************
Para o homem comum, o mundo é estranho porque, quando não está cansado de viver, está sofrendo por coisas que acredita não merecer. Para um guerreiro, o mundo é estranho porque é estupendo, pavoroso, misterioso, insondável. A arte do guerreiro consiste em equilibrar o terror de ser um homem, com a maravilha de ser um homem.
***************
Os atos têm poder. Especialmente quando o guerreiro sabe que cada luta pode ser sua última batalha. Existe uma estranha felicidade em agir com pleno conhecimento da ideia que podemos morrer no próximo minuto.
***************
O mais difícil neste mundo é adotar a postura de um guerreiro. De nada serve estar triste, queixar-se, ou dizer que alguém está nos fazendo mal. Ninguém está fazendo nada a ninguém, e muito menos a um guerreiro.
***************
A confiança do guerreiro não é a confiança do homem comum. O homem comum busca a aprovação nos olhos do espectador, e chama a isso de certeza. O guerreiro busca ser impecável perante si mesmo, e chama a isso de humildade. O homem comum está ligado aos seus semelhantes, o guerreiro está conectado com o infinito.
***************
Há muitas coisas que um guerreiro pode fazer em um determinado momento, e que não podia fazer há alguns anos. Não foram as coisas que mudaram; o que mudou foi a ideia que o guerreiro tinha a respeito de si mesmo.
***************
O poder sempre coloca ao alcance do guerreiro um centímetro cúbico de sorte. A arte do guerreiro consiste em ser permanentemente fluida, para consegui-la utilizar.
***************
Todo mundo dispõe de suficiente poder para conseguir alguma coisa. O segredo do guerreiro consiste em desviar a energia que antes dedicava a suas fraquezas, e utilizá-la em seu propósito nesta vida.


Por: Paulo Coelho

 
Pesquisar